Assine

Boa alimentação de gatos durante a infância previne a obesidade

Segundo pesquisa, alguns tutores oferecem mais refeições aos felinos

A obesidade é hoje uma epidemia global, que afeta jovens e adultos e essa realidade não corresponde apenas aos seres humanos. Nos últimos anos, um problema também acomete animais de estimação e, especialmente, os gatos. 

Nos países desenvolvidos, de acordo com a jornalista e médica-veterinária Sílvia Corrêa, o excesso de peso já é considerado o segundo problema de saúde mais comum entre os felinos, atrás apenas das doenças na cavidade oral (úlceras gengivais, reabsorção óssea, entre outras), com claro impacto na qualidade de vida e na longevidade dos gatos. 

Por conta disso, pesquisadores começaram uma busca pelos fatores de risco para a obesidade felina. O objetivo é responder à seguinte pergunta: que características de manejo, observadas nos primeiros anos de vida do animal, podem aumentar a chance de o animal crescer obeso? As primeiras conclusões do grupo da Universidade de Bristol (Inglaterra) acabam de ser publicadas. 

balanca
Ideal é oferecer uma dieta mista, mas respeitando
a exigência calórica do animal, analisa estudo
(Foto: reprodução)

O grupo conseguiu que 375 pessoas respondessem a cinco questionários sobre os hábitos e a saúde de seus gatos, entre os dois meses e os dois anos de idade dos animais. “Os dados mostram que, aos dois anos, 25% dos felinos já eram obesos e sugerem cinco fatores que contribuem para isso”, narra a profissional. 

O primeiro fator diz respeito exclusivamente ao responsável pelo animal. Pessoas que são expostas a imagens de pets obesos e avaliam que eles estão no peso ideal têm 33 vezes mais chance de criar gatos gordos, porque os alimentam demais. “Gatos que recebem petiscos desde os 18 meses e que comem, pelo menos, 250 gramas de comida úmida diariamente têm, segundo o estudo, três vezes mais chance de ficar obesos”, explica e adiciona que um gato de 3 kg precisa de 170 calorias diariamente, mas os 250 gramas de comida úmida oferecem de 188 a 250 calorias. 

Também têm mais chance de engordar, segundo a pesquisa, os gatos que comem apenas alimentos secos, mais calóricos do que as refeições úmidas. “O ideal é oferecer uma dieta mista, mas respeitando a exigência calórica do animal”, alerta. Por fim, na visão de Sílvia, tudo começa muito cedo: gatos que têm sobrepeso com um ano de vida têm dez vezes mais chance de se tornar adultos obesos. “A exemplo de humanos, portanto, os hábitos alimentares na primeira infância parecem pesar muito nessa balança”, finaliza.

Fonte: Folha de S.Paulo, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.