Assine

Campanha Outubro Rosa também impacta os animais domésticos

Consultas periódicas ajudam no diagnóstico precoce de câncer de mama

Se você tem uma gata ou uma cadela de estimação, saiba que, assim como as mulheres, elas também podem desenvolver um câncer mamário. Por isso, é fundamental que o tutor apalpe as mamas dos pets e mantenha as consultas regulares ao médico-veterinário.

O presidente da Comissão Técnica de Clínicos de Pequenos Animais do CRMV-SP, Rodrigo Mainardi, comenta que se trata de um hábito simples que pode salvar a vida de um animal. "Quando o tutor observa com frequência as mamas de sua gata ou cadela, a probabilidade é maior de ele detectar qualquer alteração antes que o quadro evolua para uma piora".

Ele ressalta que, além de manter a disciplina com as consultas periódicas ao médico-veterinário, também é imprescindível procurar o profissional imediatamente caso seja encontrado algo considerado fora da normalidade. "Pode se manifestar como nódulos, que podem ou não serem avermelhados, dolorosos ou até com feridas", explica a conselheira suplente do CRMV-SP, Dra. Mirela Tinucci. Ela frisa, porém, que o câncer de mama pode não apresentar sintomas, principalmente no início do problema.

rosa_1
O risco de uma cadela ter um tumor mamário
é reduzido a 0,5% se ela for castrada antes de entrar
em seu primeiro cio (Foto: reprodução)

Uma vez detectado o nódulo no exame físico feito pelo médico-veterinário, iniciam-se as coletas de materiais biológicos (biópsias) e exames de imagem (como ultrassonografia), principalmente para a detecção de possíveis metástases. O médico-veterinário Mainardi argumenta que a prevenção e o diagnóstico precoce são fundamentais principalmente pelo fato de que 90% dos casos precisam ser tratados de forma cirúrgica. "Nesse contexto, quanto menor o tumor, maior a chance de sucesso no tratamento", afirma.

Além de operações, estes animais também podem precisar de quimioterapia ou radioterapia, o que pode debilitar ainda mais os animais. Por ser um tratamento delicado e pela gravidade do diagnóstico, é comum que os tutores de animais mais velhos, já na fase idosa, não queiram submeter seus pets a cirurgias. A escolha, embora manifeste o desejo de proteger ou amenizar o sofrimento dos animais, pode representar um grande risco. "Independentemente da idade do pet, salvo raras exceções, os tumores precisam ser removidos o quanto antes", frisa Mainardi.

Castração é sinônimo de prevenção. É comprovado cientificamente que a castração - quando feita a partir da retirada do útero, trompas e ovários - previne o surgimento de câncer nas mamas. Isso porque os hormônios são grandes influenciadores para o aparecimento desses tumores e, com a castração, a liberação de hormônios dos ovários é interrompida. Também por essa liberação hormonal por parte dos ovários, quanto mais tarde a fêmea for castrada, menor será a porcentagem de prevenção.

"De acordo com o Colégio Americano de Cirurgiões Veterinários, o risco de uma cadela ter um tumor mamário é reduzido a 0,5% se ela for castrada antes de entrar em seu primeiro cio, o que ocorre por volta de seis meses de idade. Passado esse período, as chances saltam para 8% e podem atingir 26% em castrados depois do segundo cio", finaliza Mainardi.

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.