Assine

Clínico deve entender a realização de um exame ortopédico

É essencial saber onde e como utilizar essa forma de investigação

Diante de várias situações recorrentes no dia a dia da clínica veterinária, uma especialidade se destaca como protagonistas em cada caso. Quando esse personagem principal é a Ortopedia, veterinários se deparam com fraturas, mas, além delas, tradicionalmente, devem realizar exames das articulações do ombro, cotovelo, quadril e joelhos, que são os mais solicitados. 

Quem conta isso é o médico-veterinário, pós graduado em cirurgia, membro da Associação Brasileira de Ortopedia e Traumatologia Veterinária (OTV), sócio proprietário das empresas Cursos VetRL e Freedom – Centro de reabilitação e hotel animal, Rodrigo Luís Morais da Silva. 

De acordo com ele, de modo geral, o clínico tem dificuldade de examinar e diagnosticar uma claudicação por um problema articular e, por isso, o treinamento deve ser contínuo. “Cães e gatos exigem exame clínico iguais. Mas os felinos devem ter uma atenção especial, pois muitos deles dificultam o manejo e, consequentemente, o exame”, atesta. 

Para que o médico-veterinário possa pedir corretamente exames ortopédicos, Silva orienta que, primeiro, o clínico precisa ter a rotina de ver o paciente caminhando em uma área externa, principalmente no caso de cães. O exame ortopédico se faz pela palpação, mas como frisa o profissional, o veterinário pode cometer alguns erros de interpretação de exames ortopédicos. “O principal problema que percebo é que, eventualmente, o exame clínico não é bem realizado e, consequentemente, a radiografia pode não ajudar e, então, o diagnóstico passa despercebido, levando a maiores problemas para o paciente”, afirma Silva.

Clique aqui e acesse a reportagem completa na edição de outubro da C&G VF. 

Fonte: Redação Cães&Gatos VET FOOD. 

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.