Assine

Docentes apontam as melhorias na formação oferecidas por projeto do CFMV

Ação do Conselho tem duração de um ano, com avaliação a cada semestre

Os meses de fevereiro e março contaram com diversas visitas realizadas pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV, Brasília/DF) a Instituições de Ensino Superior de todo o Brasil. A Faculdade Icesp, em Brasília (DF), a Imed, em Passo Fundo (RS), a Universidade Federal de Goiás (UFG), em Goiânia, e o Instituto Leonardo Murialdo, em Caxias do Sul (RS), receberam as primeiras visitas do CFMV no início do mês e ressaltaram a importância do projeto. 

O objetivo da iniciativa é contribuir para o desenvolvimento das competências humanísticas nos futuros médicos-veterinários, conforme determinação das Diretrizes Curriculares Nacionais (DCN) do curso de Medicina Veterinária. A ideia é trabalhar não só as competências técnicas dos profissionais, mas também outras competências, como Liderança, Atenção à Saúde, Comunicação, Tomada de Decisão, Administração e Gerenciamento e Educação Permanente. 

Para o coordenador do curso de Medicina Veterinária do Icesp, Luiz Gustavo Florêncio, a melhor qualidade do ensino e o alinhamento entre o que é feito dentro de sala de aula e as diretrizes curriculares do Ministério da Educação (MEC) foram os principais motivos para a instituição firmar parceria com o CFMV. “A iniciativa mostra o quanto o Conselho é efetivo e se preocupa com a formação profissional, além de mostrar uma atuação preventiva, que busca diminuir a necessidade de fiscalizações e sanções”, ressalta Florêncio. 

aula
Para professores, projeto vai ajudar a formar médicos-veterinários e cidadãos compromissados com questões globais (Foto: reprodução)

Uma visão mais ampla e humanista para os futuros profissionais é destacada pela professora da Imed, Karine Boclin. “Somos privilegiados em poder participar do projeto desde o início. Essa iniciativa mostra a preocupação em qualificar profissionais e fazer com que as instituições se sintam acolhidas e acompanhadas em todo o processo”, diz.   

Para a coordenadora do curso de Medicina Veterinária do Instituto Leonardo Murialdo, Fernanda Flores, a iniciativa veio em momento propício. “Temos cada vez mais profissionais sendo formados ano a ano e a qualidade da Medicina Veterinária precisa ser repensada. Ter formações diferenciadas faz com que a profissão se perpetue”, acredita Flores. 

Na UFG, o professor de Medicina Veterinária Marcos Barcelos destaca a importância do projeto para o que considera um desafio: a formação de um profissional mais completo. “O projeto vai nos ajudar a formar médicos-veterinários e cidadãos compromissados com questões globais e competências humanísticas, que é o ideal de formação em nossos projetos pedagógicos”, finaliza. 

Fonte: CFMV, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.