Assine

Estudo mostra como realizar diagnóstico ultrassonográfico de dioctofimose

Ultrassonografia possui alto valor no direcionamento da conduta clínica

Alterações renais unilaterais podem não apresentar manifestações clínicas e estar ocultas em alguns exames laboratoriais, devido à atividade compensatória do rim contralateral. Nesse contexto, a ultrassonografia, que fornece valiosas informações anatômicas referentes à morfologia, ao tamanho, à arquitetura interna e ao aspecto do parênquima renal, permite a detecção de importantes mudanças na aparência renal que podem não ser demonstradas em outros exames, o fazendo de forma eficiente e não invasiva. 

A infecção pelo parasita nematódeo Dioctophyma renale, também conhecido por verme gigante do rim, costuma apresentar-se de forma assintomática, visto que em grande parte dos casos acomete apenas um dos rins, se enquadrando nas alterações mencionadas acima.

ultra
Leia o relato de caso completo na edição de março da C&G VF, em revistacaesegatos.com.br

Confira a bibliografia do relato de caso.

NYLAND, T.G.; WIDMER, W.R.; MATOON, J.S.; Urinary Tract. In: Mattoon, J. S.; Nyland, T. G.; Small Animal Diagnostic Ultrasound, St. Louis. Elsevier, cap. 16, p. 557-559, 2015.

LARSON, M.M., Rins e ureteres In: O’BRIEN, R. e BARR, F., Manual de Diagnóstico por Imagem Abdominal de Cães e Gatos, Inglaterra. Roca; cap. 16 p. 236-237, 2012.

ZARDO, K.M.; SANTOS, D.R.; BABICSAK, V..R.; BELOTTA, A.F.; OLIVEIRA, H.S.; ESTANISLAU, C.A.; MAMPRIM, M.J.; BRANDÃO, A.V.S.; Aspecto Ultrassonográfico da Dioctofimose Renal Canina, Botucatu. Vetinária e Zootecnia, v. 19, Supl. 1, 2012.

KOMMERS, G.D.; ILHA, M.R.S.; BARROS, C.S.L.; Dioctofimose em Cães: 16 Casos, Santa Maria. Ciência Rural, v. 29, n. 3, p. 517-522, 1999.

ROCCO, F.S.; SANAVRIA, A.; RIBEIRO, B.C.C.; SOUZA, F.S.; BRITO, M.F.; MORAES, M.C.; Relato de casos: dioctofimose em cães provenientes do Município de Angra dos Reis, Estado do Rio de Janeiro, Seropédica. XI Jornada de Iniciação Científica da UFRRJ, v. 11, n. 2, p. 139-140, 2001.

Anderson, R.C.; Nematode  parasites  of  vertebrates:  their  development  and  transmission.  2  ed.  CABI  Publishing, Oxon, UK, p. 650, 2000.

Birchard, S.J., Sherding, R.G.; Manual Saunders: Clínica de Pequenos Animais, first ed. Roca, São Paulo, p. 815–816, 1994.

RUSSO, Z.H.; RIZZARDINI, E.S.; NUNES, S.C.; MONTE, F.N.; Dioctophyma Renale em Caninos (Canis Familiaris) de Uruguay, Rivera. Neotropical Helminthology., v. 8 nº1, ISSN: 1995-1043 on line, 2014.

Measures L.N.  Dioctophymatosis. In:  Samuel, WM; Pybus, MJ; Kocan, AA. Parasitic Diseases of Wild Mammals. 2 ed. Iowa State University Press: USA, 2001.

FERREIRA, V.L.; MEDEIROS, F.P.; JULY, J.R.; RASO, T.F.; Dioctophyma renalein a dog: Clinical diagnosis and surgical treatment, São Paulo. Veterinary Parasitology, v. 168, p.151–15, 2010.

PEDRASSANI, D.; NASCIMENTO, A.A.; Verme gigante renal. V.110 nº 593-594, p. 30-37, 2015.

ALVES, L.C.; TEIXEIRA, M.A.C.T.; QUEIROLO, M.T.C.; WITZ, M.I.; JESUS, J.R.; PORTO, C.G.; MARQUES, R.; Diagnóstico por Ultra-som de Dioctophyma renale em Cães, Canoas. Veterinária em foco , v. 1, nº 1, p.35 – 41, 2003.

Fonte: Redação Cães&Gatos VET FOOD.

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.