Assine

Festas de fim de ano são período crítico para alimentação dos pets

Tutores devem ter rigidez com o que é a dado para cães e gatos

Nesta época do ano, aumenta o número de casos de intoxicação alimentar em animais domésticos. O médico-veterinário presidente da Comissão de Clínicos de Pequenos Animais e conselheiro do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo (CRMV-SP), Rodrigo Soares Mainardi, explica que os pratos festivos, como peru, tender e pernil, por exemplo, são muito condimentados e podem ser irritantes e até tóxicos para os animais.

"Como a maioria dos pets é acostumada com ração, eles possuem uma flora gastrointestinal preparada para uma dieta de composição balanceada e uma mudança repentina na alimentação, com excesso de proteína e gordura, já é o suficiente para causar vômitos e diarreias severas", afirma Mainardi.

Apesar de parecerem inofensivos, os tradicionais panetones, bolos, e frutas secas são perigosos para os animais de estimação. "Alimentos simples como uvas e passas predispõem o surgimento de insuficiência renal grave nos cães. Chocolate também é contraindicado devido sua alta capacidade de intoxicar os animais. A resistência individual de cada pet é que vai dizer o grau de severidade do problema, porém os animais mais sensíveis podem evoluir ao óbito", explica o médico-veterinário.

cachorro-comendo-natal-reproducao

CRMV-SP orienta sobre o perigo de intoxicação alimentar nas festividades de dezembro (Foto: reprodução)

Para evitar e identificar problemas, é preciso ter cuidado redobrado com os alimentos disponíveis nas mesas. Os convidados precisam ser conduzidos a não compartilharem os alimentos da ceia com cachorros e gatos. Outra opção é preparar um cardápio próprio para o pet com o auxílio de um  médico- veterinário de confiança, incrementando com biscoitos e snacks específicos.

Se mesmo seguindo todas as dicas o pet ingerir algum alimento inadequado, o tutor precisa se atentar aos sintomas mais comuns de intoxicação alimentar: vômito, apatia, diarréia, dor abdominal e convulsões. Não deve-se medicar o animal sem a orientação de um profissional e o proprietário deve procurar um médico-veterinário imediatamente para iniciar o tratamento.

Fonte: A.I., adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.