Assine

Gatos: Saúde preventiva é tema de maior campanha da Royal Canin no Brasil

Marca apostou em diversas iniciativas para promover a conscientização sobre a importância da saúde dos gatos

A Royal Canin, referência em nutrição e saúde para gatos e cães, traz ao Brasil a segunda onda de sua campanha “Meu Gato No Vet”. A iniciativa global ganha corpo no País por meio de seis grandes iniciativas que tem o objetivo de dialogar com os gateiros e chamar atenção para um assunto, muitas vezes, esquecido e negligenciado: a saúde preventiva dos felinos. 

Uma pesquisa mundial realizada pela marca, em 2018, mostrou que 42% dos tutores adiam a visita ao médico-veterinário – algo preocupante que acabou dando vida à causa. Neste ano, somado aos desafios impostos pela pandemia, essa realidade se agravou: uma nova pesquisa realizada pela Royal Canin no Brasil, com tutores de gatos, durante o mês de agosto, mostrou que 43% dos entrevistados que adotaram ou compraram um felino durante a pandemia ainda não os levaram ao veterinário nenhuma vez. 

Visitas frequentes ao médico-veterinário e check-ups
regulares, são imprescindíveis para manter a saúde
do gato (Foto: reprodução)
“Sentimos que precisávamos continuar falando sobre este tema com a população. Com a pandemia, observamos que a chance de a saúde dos felinos ser ainda mais negligenciada se tornou maior. Essa recente pesquisa também nos mostrou que 29% dos tutores que já possuíam um felino antes da pandemia diminuíram muito a frequência das consultas devido ao atual momento. Por isso, decidimos realizar o maior investimento de marketing dos nossos 30 anos de história no Brasil, promovendo a conscientização das pessoas para que o maior número de gatos possível possa ter mais qualidade de vida, bem-estar e, claro, viver mais ao lado de seus tutores”, explica a diretora de Marketing da Royal Canin Brasil, Gláucia Gigli. 

Para entender melhor a motivação para este movimento que a marca abraçou, é preciso considerar o contexto dos felinos na sociedade. A espécie foi domesticada muito depois do cão – entre eles, há uma diferença de cerca de 50 mil anos. Se observarmos a situação atual no País é fácil identificar que a relação do brasileiro com o felino mudou: o crescimento de lares com uma só pessoa; o adiamento nos planos de ter filhos; a queda na taxa de natalidade; e a verticalização das cidades são fatores que contribuíram para o aumento do número de gatos nos lares, onde já são considerados como membros das famílias. Por serem mais independentes que os cães e de fácil adaptação a ambientes pequenos, eles ganham cada vez mais a preferência dos brasileiros. 

Com base em um levantamento feito pela Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet), atualmente, a população pet está dividida em 55,1 milhões de cães e 24,7 milhões de gatos. O que se destaca é o crescimento da população de gatos - mais que o dobro do que a de cães, acumulando 8,1% de aumento contra 3,8% do crescimento canino nos últimos seis anos, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Um levantamento da Royal Canin, durante a pandemia, revelou que houve um aumento de 30% de gatos nos lares brasileiros – 16% são tutores de primeira viagem. A previsão é que, em menos de 10 anos, os gatos serão os pets predominantes por aqui. Em países como Estados Unidos e Rússia este cenário já é a realidade. 

Ainda diante deste contexto, o pouco conhecimento sobre a espécie e uma série de mitos que rondam os felinos fazem com que as pessoas pensem que eles não precisam de cuidados tão específicos com a saúde e é justamente aí que mora o perigo. “O gato demora mais a apresentar sintomas de que algo não vai bem e, quando visível, a doença já pode estar em um estágio avançado. A saúde preventiva, com visitas frequentes ao médico-veterinário e check-ups regulares, é imprescindível e faz parte das boas práticas de uma guarda responsável”, destaca Gláucia. 

O gato demora a apresentar sintomas de que algo
não vai bem e, quando visível, a doença já pode estar
em um estágio avançado (Foto: reprodução)
Pensando em tudo isso, este ano a campanha “Meu Gato No Vet”, da Royal Canin, reuniu educação, capacitação, entretenimento e arte. Confira as iniciativas: 

Podcast “Papo de Gato”: Com um conteúdo leve e divertido, o podcast da marca foi pensado e desenvolvido 100% para os gateiros e está disponível no Spotify. A primeira temporada do programa tem 18 episódios, é apresentado por Ana Carolina Rocha, conta com a participação de um médico-veterinário da Royal Canin, especialistas em saúde felina e convidados especiais.

Ao ar toda segunda-feira, os episódios abordam a jornada do tutor com seu gato, desde a adoção até o envelhecimento, sempre reforçando questões relacionadas à saúde do animal. 

Série #ChamaOVet: Com uma fotografia cativante e bem-humorada, a Royal Canin lançou sua série #ChamaOVet, que aborda, de forma educativa, os comportamentos mais curiosos dos felinos. Os episódios trazem histórias reais, além de dicas da médica-veterinária e PHD em Comportamento Animal, Dra. Daniela Ramos, e conta com a participação especial dos influenciadores digitais Kéfera, Christian Figueiredo, Magá Moura, Kim e a atriz Mariana Xavier, que dividem suas experiências pessoais como tutores de gatos e as descobertas do mundo felino. A temporada tem cinco episódios, que são lançados toda segunda-feira, de 21 de setembro a 19 de outubro, e disponibilizados no IGTV da @royalcaninbrasil, no IGTV de cada participante e no site da campanha.

Site com conteúdo exclusivo sobre saúde felina: A Royal Canin acaba de lançar a página, onde os episódios da série #ChamaOVet estão disponíveis, assim como conteúdos sobre saúde e bem-estar dos gatos, além de um campo para a busca de clínicas com atendimento especializado em felinos. 

Canal “Meu Gato No Vet” no Telegram: A marca também disponibilizou um canal de comunicação direto com os tutores de gatos, por meio do aplicativo Telegram, para compartilhamento de conteúdos interessantes e relevantes sobre saúde e cuidados com os felinos, sempre incentivando a ida ao médico-veterinário. 

Intervenção artística na cidade de São Paulo: Um mural gigantesco em um prédio no bairro Vila Nova Conceição é a mais nova expressão artística da cidade de São Paulo. Idealizada, desenvolvida e pintada pelo artista Tito Ferrara, com relevante notoriedade nacional, a obra retrata a relação de cuidado de uma médica-veterinária com um gato sem raça definida. Ambos estão olhando para a cidade e criando uma conexão imediata com quem a admira.

O edifício escolhido para receber a arte está localizado na Avenida Santo Amaro, 220, em sua face lateral, que fica facilmente visível na esquina com a Avenida Presidente Juscelino Kubitschek. A obra impacta por sua magnitude e riqueza de detalhes, gerando reflexões imediatas sobre a causa da campanha “Meu Gato No Vet”. A iniciativa busca estimular com que a vida real imite a arte e ajuda a Royal Canin a conscientizar as pessoas à medida que lembra a população sobre a importância das idas frequentes ao veterinário. 

Selo Cat Friendly Practice: A Royal Canin Brasil firmou parceria com a American Association of Feline Practitioners e a International Society for Feline Medicine e se tornou patrocinadora do programa Cat Friendly Practice no País. Criado por especialistas em felinos, o programa tem o objetivo de mudar a cultura dos profissionais, das clínicas e hospitais veterinários para que compreendam melhor as reais necessidades dos gatos, elevando o cuidado e reduzindo o estresse do animal, de seu tutor e de toda a equipe envolvida em seu atendimento.

Hoje, no Brasil, apenas 27 clínicas contam com o selo Cat Friendly Practice, mas qualquer clínica pode pleitear a certificação seguindo etapas simples para adaptar o ambiente e aprimorar as técnicas de manuseio dos felinos. O primeiro passo é tornar-se um membro da AAFP, acessando o portal.

Os principais benefícios percebidos com a obtenção do selo Cat Friendly Practice incluem: menos estresse dos pacientes felinos; mais satisfação do tutor de gatos no atendimento e serviço prestado; demonstração do alto nível de cuidado e sólido conhecimento e experiência da equipe médica com felinos; melhoria na retenção de clientes, que voltam com mais frequência às clínicas; e ganho de novos clientes por elevar a reputação da clínica. 

A Royal Canin reuniu uma série de agências parceiras para viabilizar o lançamento de todas as iniciativas da campanha “Meu Gato no Vet” deste ano, sendo:

Podcast “Papo de Gato” / Site sobre saúde felina: SA365

Série #ChamaOVet / Canal de Telegram / Site sobre saúde felina: Bold

Curadoria e produção da intervenção artística com Tito Ferrara: Dionisio Arte

Confira um vídeo produzido pela Royal Canin com dicas para levar o gato ao médico-veterinário:

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.