Assine

Gatos têm características que devem ser respeitadas na alimentação

Diferenças entre espécies e faixa etária precisam ser consideradas

MV Msc Luciana Peruca

Coordenadora de Comunicação Científica

Royal Canin do Brasil

Cada gato tem características específicas, estudadas em pesquisas científicas que, hoje, permitem o desenvolvimento de soluções nutricionais precisas, considerando as necessidades individuais em termos de idade, sensibilidades, estilo de vida ou raça. Isso significa um alimento com quantidade balanceada de nutrientes adaptados a cada animal e permite fórmulas de maior palatabilidade e digestibilidade.

Diferente dos seres humanos, que são onívoros, possuem um paladar bastante aguçado e olfato pouco desenvolvido e, por essa razão, valorizam a variedade do sabor da dieta; gatos são carnívoros, com um paladar pouco desenvolvido, porém com um olfato muito aguçado, indicando a menor necessidade de variação na alimentação, mas, por outro lado, a extrema necessidade de um alimento com um perfil aromático atrativo. Alguns exemplos de características específicas de seu gato:

  • Mandíbulas que cortam o alimento, em vez de mastigá-lo;
  • Ausência de pré-digestão pela saliva;
  • Acidez gástrica muito elevada para ajudar a digerir a presa que foi engolida por inteiro;
  • Olfato muito aguçado.

É impossível alimentar um gato de forma adequada utilizando a mesma dieta consumida pelos seres humanos, pois os nutrientes essenciais são diferentes para cada um deles. E a falta de um ou mais desses nutrientes pode ter graves consequências sobre a saúde do gato. Uma nutrição felina satisfatória varia em função da idade, do estilo de vida e das sensibilidades peculiares de cada gato. Mas algumas características que permanecem são:

  • O leite (de vaca ou de cabra) é pouco digerido pelos gatos;
  • Os gatos consomem várias refeições pequenas ao longo do dia;
  • Eles possuem menos papilas gustativas que os cães ou os seres humanos;
  • Nossa alimentação não supre as necessidades do gato.

gatos filhotes

É impossível alimentar um gato de forma adequada utilizando a mesma dieta consumida pelos humanos, informa a veterinária (Foto: reprodução)

Fase de crescimento:

De 1 a 4 meses de vida. Nessa fase, o filhote pode começar a comer alimento sólido (alimento seco ou úmido, como uma espécie de mousse). É aconselhável reidratar os croquetes dos alimentos com a tecnologia da reidratação conforme indicado pelo fabricante. Você também pode escolher um alimento úmido especialmente adaptado para filhotes felinos.

De 4 a 12 meses de vida. Nessa segunda etapa, o último grupo de dentes já terá se formado na arcada dentária. Durante essa fase, a velocidade de crescimento dos filhotes diminui. Isso faz com que o esqueleto se fortaleça e os músculos se desenvolvam. As necessidades energéticas permanecem muito altas.

Fase adulta:

Para atender às necessidades nutricionais relacionadas com a idade, o estado fisiológico (castrado ou não), o estilo de vida (domiciliado ou com acesso à rua), as sensibilidades (tendência ao ganho de peso, sensibilidade digestiva ou pele sensível, etc.) ou a raça, seu gato precisa de uma dieta que forneça todos os nutrientes essenciais diariamente. A falta de qualquer um desses nutrientes pode gerar consequências graves sobre a saúde do gato. Caso o gato não seja castrado, castrá-lo pode ser uma excelente decisão e, nesse caso, o médico-veterinário deve ser consultado a fim de explicar as vantagens e desvantagens desse procedimento. Esse tipo de intervenção cirúrgica implica alterações fisiológicas e altera as necessidades nutricionais do gato. Portanto, haverá necessidade de uma dieta especialmente adaptada para o gato castrado. Após a castração, os gatos tendem a comer mais, apesar do fato de que suas necessidades energéticas, na verdade, diminuem. Os gatos castrados:

  • Têm uma expectativa de vida muito mais prolongada;
  • Necessitam de um nível calórico muito menor do que os gatos intactos;
  • Estão sob um risco maior de ficarem acima do peso ideal ou se tornarem obesos.

Quatro meios para ajudar a manter seu gato castrado em boa forma:

  • Escolha um alimento feito especialmente para gatos castrados - alimento este que não só contenha um teor reduzido de calorias, mas também ajude a diminuir a sensação de fome;
  • Siga as recomendações de porções contidas na embalagem (pesar a alimentação diariamente);
  • Evitar o fornecimento de petiscos;
  • Estimular a atividade diária de seu gato com brincadeiras interativas.

Fases de envelhecimento:

Gatos iniciam a fase de envelhecimento aos 7 anos e a segunda etapa começa aos 12 anos de vida. Na primeira fase o gato apresenta alterações sutis como diminuição da atividade física e o apetite e, por isso, há a necessidade de um alimento adaptado para essa etapa. A partir dos 12 anos de vida, o gato já está muito mais suscetível às doenças decorrentes da senilidade, como doença renal crônica, por exemplo. A nutrição tem um papel fundamental no auxílio da manutenção da saúde do felino, principalmente nessa segunda fase de envelhecimento. Portanto, o alimento deve considerar a fase de vida do animal para que o perfil nutricional seja o mais adequado. Fornecer uma alimentação adequada à raça, fase de vida e características individuais significa respeitar as necessidades nutricionais da espécie felina e contribuir para o bem-estar, qualidade de vida e aumento da expectativa de vida do gato.

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.