Assine

Gene pode causar desenvolvimento anormal dos olhos dos fetos

Estudo é importante para criadores evitarem a produção de mais cães cegos

Um novo gene para doença ocular congênita canina foi identificado. Isso é o que revela um estudo realizado pelos grupos de pesquisa da Universidade de Helsinque (Finlândia), UC Davis (California/EUA) e da Universidade de Jyväskylä (Finlândia). As análises genéticas e funcionais revelaram uma mutação de deleção no RBP4. A investigação define um novo modo recessivo de herança materna, que pode estar na base de outros tipos de defeitos congênitos. 

De acordo com a pesquisa, o RBP é responsável por codificar a proteína de ligação ao retinol no soro e fazer com que ela circule na corrente sanguínea, transportando a vitamina A do fígado para outros tecidos. O transporte dessa vitamina é essencial durante a gravidez, já que a falta desse nutriente causa o desenvolvimento anormal dos olhos dos fetos em desenvolvimento. 

Segundo o médico, biólogo, professor da UC Davis e co-autor da pesquisa, Tom Glaser, o retinol é convertido em ácido retinóico no feto, essa molécula controla a expressão de genes que atuam para moldar o olho do embrião. “O retinol é uma molécula oleosa, não pode se dissolver na água, no sangue, ou soro, então a RBP transporta retinol pela corrente sanguínea dentro de sua ‘bolsa de ligante’. Sem RBP4 funcional, a vitamina A não pode ser transportada para o feto em desenvolvimento”, explica. 

Clique aqui e leia a reportagem completa, na edição de setembro da C&G VF. 

Fonte: Redação Cães&Gatos VET FOOD. 

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.