Assine

Manejo nutricional de aves e pequenos mamíferos pode ser desafiador

Veterinários se deparam com erros, como a quantia exagerada de alimento
papagaiopet
Edição nº 225 está disponível em
revistacaesegatos.com.br (Foto: reprodução)

A avaliação nutricional é considerada pela WSAVA, desde 2011, como parâmetro vital. E não é por acaso: na clínica de pets não convencionais, um dos principais problemas é o incorreto manejo nutricional dos animais. Com frequência, os tutores se deparam com informações errôneas e não buscam mais detalhes em fontes confiáveis. 

O primeiro ponto a ser buscado é a fonte de alimentação natural de cada espécie. Sendo assim, é preciso respeitar a natureza carnívora, onívora ou herbívora do indivíduo que estamos lidando, do contrário, haverá deficiências de vitaminas e aminoácidos essenciais – o que pode ocasionar diversas doenças. 

A graduanda de Medicina Veterinária da Faculdade de Medicina Veterinária Zootecnia (FMVZ), da Universidade de São Paulo (USP, São Paulo/SP) e colaboradora do Grupo de Estudos de Animais Selvagens (GEAS), Raquel de Melo Simionato, afirma ser importante ressaltar que, no mercado, há ração para quase todas as espécies de aves e mamíferos pets, mas conferir a qualidade do produto é indispensável. “Por isso devemos comparar as necessidades nutricionais da espécie com a tabela nutricional indicada na embalagem de ração”, alerta. 

As aves, quando mal nutridas, podem apresentar uma série de sintomas, segundo Raquel, desde penas desgastadas – ou com alteração de cor, ou ainda, sem brilho - descamação de bico e dos pés, apatia, até dificuldade de empoleiramento, entre outros. “Um erro muito comum entre os tutores é ofertar mix de sementes como base alimentar de psitacídeos e alguns roedores, como hamsters e gerbilos”, expõe. 

Leia mais na edição de maio da C&G VF. Acesse aqui

Fonte: Redação Cães&Gatos VET FOOD. 

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.