Assine

Adestradora explica como o tutor deve lidar com cães que ingerem fezes

Tédio por falta de atividades físicas podem influenciar este comportamento

Por Camila Mello, franqueada e adestradora da Cão Cidadão 

Você sabe o que é Coprofagia ou já ouviu falar? Trata-se do hábito que alguns cães adquirem, de comer as fezes deles ou de outros animais. Muito embora esse hábito cause espanto, entenda que isso pode ser mais comum do que você imagina. E, então, surge o questionamento: como um cão desenvolve isso? Será que o problema é uma característica genética? Há incidência maior em determinadas raças? 

Nem sempre! Vale ressaltar que o comportamento pode estar intimamente ligado ao instinto do animal. As fêmeas, por exemplo, às vezes, ingerem as fezes dos filhotes ao nascerem, para manterem o ambiente e os pequeninos limpos. Além disso, existem outros fatores que podem desencadear o hábito de comer fezes, considerando o estilo de vida que o cão e sua família têm. Um deles é o fator imitação. 

Os pets aprendem e adquirem hábitos por meio da observação e imitação - seja imitando outros animais ou as pessoas. Isso porque, ao ver você limpando o ambiente, ele poderá querer fazer igual. Logo, vai comer as fezes para “vencer a corrida” e deixar o local limpo, assim como você faz. Pensando nisso, o ideal é que a limpeza do banheiro do pet seja realizada sem que ele esteja observando. 

Outro aspecto que poderá levar o cão a ingerir as fezes é dar uma bronca quando ele fizer o cocô no lugar errado. Isso pode ser um gatilho para o desenvolvimento da Coprofagia. A cabeça do cão funciona assim: ao receber uma bronca por se aliviar no lugar errado, o animal pode associar que, na verdade, o errado é fazer o cocô e não o lugar onde foi feito. E isso pode levá-lo a comer suas fezes para esconder de você o que fez, evitando, assim, uma bronca. 

Cães entediados ou com falta de atividade física e mental também podem desencadear esse hábito. Já ouviram o ditado “cabeça vazia, oficina do diabo”? É mais ou menos isso. Deixe o ambiente do seu pet bem enriquecido com brinquedos e atividades, assim, ele não terá tempo de ficar pensando o que pode fazer para passar o tempo. 

Fora isso, proporcione a ele atividades físicas de qualidade, como passeios diários, para que possam estreitar cada vez mais a relação e para que ele se socialize de maneira adequada à sociedade, explore novos cheiros e conheça outros sons. Isso fará ele se manter mais equilibrado, seguro e, consequentemente, feliz. E, também, evitará que ele tente chamar sua atenção ingerindo as fezes. 

Se você não reserva um momento para interagir com o seu cão, ele pode associar que terá sua atenção somente se ingeri-las. Para ele, o ato certamente interromperá o que você estiver fazendo (ainda que seja para dar uma bronca), o que, para ele, poderá ser exatamente o que precisava. 

Outro fator que pode contribuir para desencadear esse hábito é a falta de absorção de nutrientes. Essa questão deverá ser tratada com o médico-veterinário, que poderá avaliar esse aspecto e prescrever algum medicamento, caso haja necessidade. Para controlar esse problema, a sugestão é que o cão tenha uma alimentação regrada, o que significa oferecer sua refeição em horários determinados, evitando deixá-la à vontade. A dica é essa porque, normalmente, os pets vão ao banheiro depois de uns 30/40 minutos que comeram e, dessa forma, você conseguirá controlar o horário que ele se aliviará e poderá direcionar seu foco para outro estímulo que não as fezes.

Caso precise de ajuda para eliminar ou minimizar essa questão, conte com profissionais capacitados e habilitados! 

Fonte: Cão Cidadão para a Cães&Gatos VET FOOD.

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.