Assine

Algumas dicas podem ajudar os cães que ficam sozinhos em casa

Estar separado do tutor pode causar medo e desconforto aos pets

Os cães são extremamente sociáveis, por isso, ficar longe dos tutores, mesmo que por curtos períodos, costuma ser um desafio para o animal que pode sentir medo e desconforto com a situação. Alguns cuidados são imprescindíveis para garantir que o processo não cause problemas para a saúde do cão e, principalmente, para o seu bem-estar. 

O indicado é que o animal seja acostumado gradualmente com a situação, se possível desde filhote. Dessa forma, ele aprenderá que não é necessário ter receio de ficar sozinho. Esse processo auxilia o pet e evita o desenvolvimento da ansiedade relacionada à separação. 

Para tornar o processo mais tranquilo a médica-veterinária e gerente de Produtos da Ceva Saúde Animal, Priscila Brabec, preparou algumas dicas para auxiliar os pets a lidar com a situação. A primeira é ter atenção ao comportamento ao sair e voltar para casa. “O tutor deve evitar se despedir com intensidade do cão, pois esse comportamento gera ansiedade no animal. Ele deve sempre associar sua saída com algo positivo, como, por exemplo, o oferecimento de algum brinquedo com petisco”, comenta.

Assim, é preciso investir em brinquedos. Segundo ela, os inteligentes são ótimos aliados para distrair os cães quando eles estão sozinhos. “Existem itens especiais que permitem deixar petiscos escondidos, o que garante entretenimento para os cães durante o período. Outra dica é selecionar alguns brinquedos para esse momento, esses itens especiais não ficam à disposição do animal o tempo todo, só no momento em que estão sozinhos”, orienta. 

Quanto aos objetos que soltam partes ou possuem peças pequenas que podem ser engolidas, como pelúcias, entre outros, são um risco para o cão sozinho, pois ele pode se envolver em um acidente sem a presença do tutor. “Por isso, é importante restringir o acesso do animal aos ambientes com esses objetos. O ideal é delimitar o espaço onde o cão ficará durante o período”, declara. 

Priscila destaca que filhotes precisam de atenção redobrada, porque ainda estão se adaptando ao lar e a rotina de ficar sozinho. “O indicado é que o filhote fique em uma área restrita até estar habituado à nova casa”, indica. Uma dica da profissional é utilizar o Adaptil Difusor, um análogo sintético do odor materno canino, que auxilia na adaptação dos cães em situações adversas do dia a dia, trazendo a sensação de segurança e bem-estar no ambiente. “A dica em caso de cães que ficam sozinhos é utilizar o difusor do produto. O item deve ser colocado no cômodo onde o pet passa a maior parte do dia, dessa forma o cão se sentirá confortável e seguro no ambiente. Manter o difusor na tomada 24 horas por dia por 30 dias”, ensina.

Mas, a principal orientação é tentar deixar o animal menos tempo sozinho. “Uma alternativa para reduzir o tempo que o pet fica sozinho em casa é considerar deixá-lo em uma creche especializada durante um período do dia ou, até mesmo, investir em um dog walker. Dessa forma, o tempo que o animal fica sozinho será reduzido”, finaliza. 

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.