Assine

Atendimento emergencial de endocrinopatas deve ser cauteloso

O que fazer quando recebe um pet com diabetes, hipo ou hiperadrenocorticismo?

Muitos médicos-veterinários podem temer uma situação de emergência, principalmente se o quadro estiver relacionado à endocrinologia. Segundo a responsável pelo setor de Endocrinologia da clínica Integrável 24h e Vetfãs, sócia-fundadora e membro da diretoria da Associação Brasileira de Endocrinologia Veterinária (ABEV), Flávia Tavares, existem três doenças endócrinas que levam um animal à emergência: diabetes, hiperadrenocorticismo e hipoadrenocorticismo. 

Ela explica que as doenças endócrinas e metabólicas abrangem um leque de manifestações clínicas e as emergências relacionadas a essas enfermidades, que colocam a vida do paciente em risco se não forem imediatamente reconhecidas e tratadas adequadamente. “Tais particularidades tornam imprescindíveis o treinamento e a atualização das equipes de terapia intensiva dos hospitais veterinários”, sinaliza. 

Flávia comenta que alguns dos equívocos cometidos pelo veterinário em relação à emergência de endocrinopatas é acreditar que o paciente é só a doença que ele possui. “Pacientes endocrinopatas, em boa parte das vezes, são idosos e, por isso, podem desenvolver comorbidades que merecem a mesma atenção que a doença hormonal exige”, afirma. 

Exames também são importantes para evitar alguns erros. O direcionado desses exames, segundo a profissional, vai depender da doença de base do paciente. “Em animais diabéticos, por exemplo, a gasometria se torna uma excelente ferramenta para verificar a eficiência da terapia empregada”, expõe. Para ela, os medicamentos necessários também dependerão da doença de base envolvida. 

Leia a reportagem completa na edição de janeiro da C&G VF. Clique aqui

Fonte: Redação Cães&Gatos VET FOOD. 

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.