Assine

Califórnia recebe título de Estado “mais humano” com os animais

Local foi reconhecido por suas inúmeras leis de proteção aos pets

Casos de maus-tratos contra os animais são descritos em todo o mundo, no entanto, alguns lugares enxergam os pets de uma forma mais humanizada. É o caso da Califórnia. A organização sem fins lucrativos Humane Society dos Estados Unidos, que divulga anualmente o Humane State Rankings, publicou a nova colocação. 

O ranking considerou mais de 90 políticas de bem-estar animal, incluindo a proteção de cães que vivem nas ruas ou que são deixados dentro de carros quentes, a proibição à caça de ursos e o uso de armadilhas para capturar animais selvagens. 

No ano passado, a Califórnia reivindicou a primeira posição na lista depois que se tornou o primeiro Estado a proibir a venda de cachorros, gatos e coelhos em lojas de animais. Agora, em 2019, foi novamente reconhecida por seus esforços no bem-estar animal. Ela aprovou, recentemente, a lei de proteção animal mais forte do mundo. 

A Califórnia também decretou a proibição da venda de cosméticos testados em animais, tornando-se o primeiro nos EUA a fazê-lo. Oregon ficou em segundo lugar na lista, devido às suas fortes leis de proteção animal, enquanto Massachusetts – que recentemente aprovou uma lei contra a crueldade animal – ficou em terceiro lugar. 

Notavelmente, Illinois saltou uma posição e empatou com a Virgínia e Washington em quarto lugar. O aumento na classificação foi dado a Illinois após proibir a venda de chifres de marfim e rinoceronte para tentar deter a caça furtiva e o tráfico de animais selvagens em toda a África. 

A Humane Society deu menções honrosas a Estados como Ohio, que tem o segundo maior número de fábricas de filhotes no País, mas que acabou de aprovar uma lei mais forte contra a prática nos EUA. Rhode Island também teve um ano positivo, proibindo o uso de gaiolas em bateria para galinhas na produção de ovos e aprovando uma lei declarando que cães e gatos utilizados em instalações de pesquisa devem ser colocados para adoção em vez de eutanasiados. 

A Flórida também proibiu as corridas de galgos, uma medida que provocou um “duro golpe” na indústria ao acabar com 11 das 17 pistas de corrida de cães nos EUA. Seguindo os passos da Califórnia, Maryland também proibiu a venda de cães e gatos em lojas de animais – atualmente são os dois únicos Estados norte-americanos a fazê-lo. 

Os Estados com baixo ranking incluem Mississippi e Dakota do Norte. No entanto, o Mississippi “deu um passo à frente”, de acordo com a Humane Society, quando aprovou uma medida que aumentará as penalidades e a proteção das leis sobre rinhas de cães. 

A Humane Society aponta que, em 2018, 200 leis estaduais e locais de proteção animal foram aprovadas, já que mais pessoas do que nunca se sintonizaram com questões de direitos animais e pressionaram por mudanças. Muitos estão optando por parar de comer carne, laticínios e ovos por razões de bem-estar animal. De fato, o bem-estar animal foi o principal motivador para os 79.000 inscritos no Veganuary no ano passado. 

Fonte: Anda, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.