Assine

Conservantes em ração não induzem surgimento de doenças em pets

Veterinária esclarece a utilização dessas substâncias nos alimentos

Os pets têm necessidades nutricionais diferentes de nós, humanos. Para garantir a qualidade de vida do cão ou gato, a alimentação deve ser feita com ração. Mas, muitos tutores se preocupam com alimentos industrializados devido aos conservantes químicos.   

A médica-veterinária e coordenadora de Comunicação Científica das rações Nero e Líder (Total Alimentos), Bárbara Benitez, explica que os conservantes artificiais são substâncias que estão presentes nas rações para retardar a alteração do alimento para aumento do tempo de vida útil. 

Os conservantes artificiais são sintéticos e acabam sendo mais utilizados em razão da pureza e qualidade ser relativamente maior. “Existem evidências científicas que comprovam que o excesso de conservantes químicos em rações industrializadas não causa doenças, como o câncer. As empresas de nutrição animal passam por certificações rigorosas e utilizam conservadores químicos em baixíssima quantidade”, explica a veterinária. 

Bárbara também afirma que a associação de outras doenças com os conservantes é muito comum por parte dos tutores, porém, é necessário esclarecer que a nutrição é somente um dos possíveis fatores. “As doenças têm causas multifatoriais. Portanto, afirmar que o pet sofreu de alguma síndrome em consequência da alimentação é errado”, esclarece. 

Para evitar qualquer enfermidade, a profissional orienta aos tutores para se informar a respeito sobre a fabricação das rações e consumir aquelas que são livres de corantes, conservantes e aromatizantes artificiais. “Além disso, conversar com um veterinário de confiança é importante, pois ele vai indicar a melhor dieta alimentar para o pet. Eu recomendo as rações com fibras de qualidade, na medida certa, que contenham cereais integrais, extrato de frutas e vegetais incorporados nas partículas”, aponta. 

Por fim, a veterinária alerta sobre a comida caseira, que pode levar à desnutrição e, como consequência, causar algumas doenças, como obesidade, problemas cardíacos, ósseos, de desenvolvimento, entre outras. “Por isso, é preciso evitar ao máximo oferecer ao animal de estimação esse tipo de alimento”, finaliza. 

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.