Assine

CRMV-SP dá dicas para os cuidados com os pets durante as férias

Saúde preventiva dos animais deve estar em dia para viagens e hospedagens

Muitas famílias saem de férias e as viagens fazem parte do cronograma de fim de ano. Para as que têm animais de estimação, a programação dos pets também precisa estar na lista de itens importantes no planejamento para o período. O Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo (CRMV-SP) alerta que o check-up da saúde dos peludos é o principal tópico, tanto para os que viajarão com seus tutores, quanto para os que passarão uma temporada em pet hotéis, aguardando a volta da família. 

Segundo os médicos-veterinários Thomas Marzano, presidente da Comissão Técnica de Clínicos de Pequenos Animais do CRMV-SP, e Carolina Filippos, integrante da mesma comissão, há diferentes fatores que devem ser levados em consideração para a tomada de decisão em ambas as situações. Por exemplo, se o pet tem alguma doença, se é filhote ou idoso, se possui limitações físicas, entre outros pormenores do perfil do animal. 

O animal deve passar por um check-up com antecedência, para que a família tenha tempo de verificar como está sua saúde, a carteira de vacinação e os prazos dos controles de parasitas, como vermes, pulgas e carrapatos. Em caso de uso contínuo de medicamentos, o profissional poderá fornecer um Atestado de Saúde do Animal, uma receita atualizada, além de orientar sobre os cuidados necessários. 

O destino da viagem pode dizer muito sobre as precauções essenciais. “Por exemplo: se vai à praia, a proteção contra a dirofilariose, doença conhecida como “verme do coração”, é indispensável. Se a região de destino é endêmica para a leishmaniose, é preciso prevenção contra a enfermidade também”, explica Carolina. 

No caso de viagens de carro, os tutores devem se informar sobre as leis de trânsito para acomodar o animal no veículo. Há observações, ainda, quanto ao bem-estar durante o trajeto. “É preciso fazer pausas a cada duas ou três horas, para que o animal se movimente, tome água, possa se refrescar e fazer suas necessidades”, orienta a médica-veterinária. Se o veículo for um ônibus, todos os detalhes devem ser verificados com a empresa responsável pelo transporte. Da mesma forma, para trajetos de avião, é preciso verificar as regras específicas de cada companhia aérea. 

Vale ressaltar. As viagens internacionais exigem atendimento a diversas normas, que mudam de acordo com o País de destino. As informações estão no Guia Para Emissão de Atestados de Saúde de Pequenos Animais e precisam ser lidas com atenção. O conteúdo está disponível no campo “Guias e Manuais” do site do CRMV-SP

Outras dicas passadas pelos profissionais para aqueles que levarão o cão ou gato na viagem é identificar o pet com uma coleira, ter um kit de primeiros socorros para o animal, ficar atendo a locais com água para evitar riscos de afogamento. Para os que deixarão o pet em um hotel, é preciso consultar um veterinário anteriormente, planejar a estadia com antecedência e conhecer o local. “Se for a primeira vez que seu pet ficará longe de casa, dê tempo para a adaptação. Leve-o algumas vezes antes da viagem, por períodos mais curtos, e veja se ele se acostuma com o espaço, as pessoas e se aceita o convívio com outros animais”, recomenda Marzano. 

Neste caso, o tutor ainda deve informar sobre os horários e a quantidade de alimento que o animal está acostumado a comer, para que isso seja mantido. 

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.