Assine

Doença articular degenerativa tem a idade como fator de risco

Controle da dor deve fazer parte do tratamento em felinos

A idade é o principal fator predisponente da doença articular degenerativa (DAD), apesar de sua causa ainda ser desconhecida. De acordo com a médica-veterinária, especializada em Felinos, Daniela Tavares de Lima, o problema caracteriza-se por degeneração da cartilagem articular com produção de novo tecido ósseo nas margens articulares. Possui etiologia multifatorial, envolvendo fatores genéticos, biomecânicos e bioquímicos.

Segundo ela, a perda gradual da cartilagem articular define a progressão da doença. O aparecimento de osteófitos marginais e a esclerose subcondral são as principais alterações ósseas. E, além da idade, vários outros fatores predisponentes já foram relatados. “Portanto, pode afetar animais mais jovens também, embora seja menos comum. Um estudo com gatos acima de seis anos de idade mostrou que 61% dos animais possuíam ao menos uma articulação afetada. Mas a idade apresenta-se como principal fator de risco para desenvolvimento de doença articular regenerativa, 90% dos gatos acima de 12 anos apresentam algum grau de doença articular”, comenta.

O diagnóstico da doença se dá por meio de anamnese, exame físico/ortopédico e exame radiográfico, segundo Daniela. “Devido à natureza crônica da DAD, a dor é, geralmente, gradual, fazendo com que as alterações comportamentais sejam sutis e, muitas vezes, passem despercebidas. Diferente do que ocorre com os cães, a claudicação não é o sintoma mais frequente em gatos com doença articular degenerativa. Outros sinais que podem ocorrer são perda de peso, anorexia, depressão, alteração na micção e/ou defecação, diminuição dos hábitos de limpeza e aumento da agressividade.

Leia na editoria Felinos, da edição de maio da C&G VF.

Fonte: Redação Cães&Gatos VET FOOD. 

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.