Assine

Especialista mostra como minimizar os sintomas de compulsão

Isso pode ocorrer pelo fato de não estar tendo suas necessidades físicas atendidas

Por Camila Mello, adestradora da Cão Cidadão 

Dentre alguns problemas comportamentais que cães, gatos e outros pets podem apresentar, a compulsão está entre eles e aparecem com cada vez mais frequência. A compulsão apresenta-se por meio de comportamentos ditos obsessivos, são comportamentos repetitivos, que, em tese, não tem motivo aparente e que podem causar danos físicos e mentais. 

Relatos comuns de tutores sobre compulsão são: lambedura excessiva de partes do corpo, como patas, dorso, rabo, ou ainda, perseguição ao próprio rabo ou a sua sombra. Casos extremos, podem se apresentar como arrancar o próprio pelo ou pena. 

Casos compulsivos, devem ser tratados logo que se desconfie que o pet está apresentando. A primeira medida a ser tomada é levar leva-lo ao médico-veterinário para uma avaliação clínica. Isso porque, é preciso descartar inicialmente qualquer problema de saúde no seu animal. Excesso de lambedura, ou de coceira, por exemplo, pode indicar algum problema dermatológico. 

Descartado qualquer problema de saúde, partimos para o tratamento comportamental da compulsão. O pet poderá apresentar sintomas de compulsão pelo fato de não estar tendo suas necessidades físicas atendidas adequadamente, ou seja, por não estar gastando sua energia de forma satisfatória e isso eleva o nível de estresse e ansiedade. 

Outro fator que pode levar a desenvolver um comportamento compulsivo, são as mudanças bruscas na sua rotina e no ambiente em que vive. Isso pode envolver a chegada de um novo membro na família (humano ou canino) ou uma mudança de residência. Para tratar referido comportamento, é essencial oferecer ao pet atividades que supram suas necessidades como espécie. É preciso que haja um enriquecimento ambiental adequado, ou seja, deixar disponíveis atividades que os estimule e os entretenham, brinquedos adequados,  arranhadores. 

Ademais, proporcionar o convívio com outros cães e com humanos também é recomendado, isso porque eles são animais sociáveis e precisam desenvolver suas habilidades de sociais. Já os gatos são caçadores e adoram escalar e, então, precisam desenvolver essas habilidades. 

Além de tudo, os pets precisam gastar sua energia física, por isso os gatos devem ser estimulados a exercer essas habilidades citadas e os cães deverão gastar essa energia com longos passeios diários, para que explorem novos cheiros, observem novos sons, interagir com outros cães e pessoas. É importante estar sempre atento ao comportamento do animal, qualquer alteração em seu comportamento deve ser avaliada com cuidado, para que a causa seja identificada o mais breve possível e as medidas tomadas. 

Caso se sinta em dúvida se seu pet esteja apresentando um comportamento compulsivo, busque ajuda profissional, tanto de um veterinário, como de um especialista em comportamento. Devemos sempre zelar pelo bem-estar de nossos melhores amigos. Atender suas necessidades básicas é um dever tanto quanto cuidarmos de sua alimentação e higiene.

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.