Assine

Especialistas encontram caso raro de peixe com fertilização interna

Fêmea da espécie foi apelidada pelos pesquisadores de “virgem Maria”

Uma fêmea de peixe da espécie esgana-gato gerou filhotes de ovos que ainda estavam dentro dela. Essa seria a primeira descoberta de fertilização interna e desenvolvimento de filhotes dentro de uma espécie ovípora, bem como o nascimento dos peixes. 

A ocorrência foi observada em um estudo realizado por cientistas da Escola de Ciências da Vida, na Universidade de Nottingham, no Reino Unido. A presença de ovos fecundados no peixe, que recebeu o apelido de Virgem Maria, foi notada quanto ela estava quase morrendo.

Por isso, os pesquisadores a colocaram para "dormir" e retiraram os embriões quase completos por cesariana. Ao todo, nasceram 54 peixess. Eles cresceram até a idade adulta nos aquários de Nottingham, onde cerca de 20 ainda sobrevivem, quase três anos depois.

O esgana-gato é da espécie Gasterosteus aculeatus, também conhecido como espinhela. Trata-se de um peixe pequeno e comum nas águas frescas e costeiras do hemisfério norte.  Na reprodução normal, o macho constrói um ninho e, ao executar uma dança rotineira em zigue-zague, atrai a fêmea para poder colocar seus ovos dentro dela. Depois de atrai-la, o macho a persegue para fecundá-la. Ele guarda e cuida dos ovos, abanando-os com suas barbatanas por cerca de duas semanas até o nascimento dos filhotes. 

peixe_vir
Pesquisadores estão procurando, em expedições de pescaria na Escócia,
por mais esgana-gato fêmeas que possam exibir o mesmo fenômeno (Foto:  reprodução)

"Ficamos impressionados quando examinamos a fêmea no laboratório. Ela parecia um peixe comum com um ovo, e não podíamos acreditar que tinha desenvolvido quase completamente embriões dentro de seus ovários. Isso é praticamente inédito em uma espécie ovípara. Os embriões eram perfeitamente saudáveis, não deformados de qualquer forma, e a maioria teve uma vida adulta normal", explica a pesquisadora, Laura Dean, da Escola de Ciências da Vida.

Mesmo a descoberta ser quase acidental, ela pode ajudar a compreender uma mudança importante na árvore da vida. "A maioria dos animais põe ovos, mas alguns, quase todos os mamíferos e poucos peixes, mantêm seus ovos no organismo e dão à luz. Embora pareça difícil de alcançar na evolução, este peixinho parece ter chegado lá quase que por si só!", declara o professor de biologia, Andrew MacColl.

Fonte: Revista Galileu, adaptado pela equipe Cães&Gatos.

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.