Assine

Exames complementares auxiliam diagnóstico de paciente oncológico

Exame de histopatológico e técnicas de imuno-histoquímica são bem-vindos

O baço é, frequentemente, o local de origem de neoplasias endoteliais, sendo o hemangiossarcoma a principal neoplasia que o acomete. Os linfomas caninos podem acometer órgãos abdominais como o baço quando atingem o IV estadiamento clínico da doença, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). As neoplasias mamárias metastatizam, principalmente para linfonodos e pulmão, em menor frequência observa-se metástases ao nível do baço e demais órgãos abdominais. 

O diagnóstico desta neoplasia se dá por meio da técnica de ultrassom com o uso de Doppler colorido e Doppler de amplitude, a fim de obter maiores informações compondo um raciocínio clínico mais fidedigno e um tratamento eficaz para determinada situação.  Logo, ambas as técnicas têm sido recomendadas como coadjuvantes na Oncologia Veterinária, pois os mesmos podem sugerir o grau e o estágio que o tumor em questão se encontra, devido à vascularização e tamanho, além de ser uma ferramenta de grande importância no mapeamento de fluxo sanguíneo de pequenos vasos e até da microcircurculação. 

Em um estudo de 2015, foi descrito que os tumores malignos demonstraram maior incremento de fluxo sanguíneo, principalmente em região central, comparado aos tumores benignos, comprovando que a área de fração vascular e o índice de velocidade de fluxo se encontravam aumentados em tumores de origem maligna, podendo ser um auxiliar na determinação dessa questão, porém nunca isoladamente. 

Acesse a edição de junho da C&G VF e leia o artigo completo, que conta com um relato de caso. 

Fonte: Redação Cães&Gatos VET FOOD. 

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.