Assine

Felinos possuem diversas particularidades nutricionais

Aminoácidos, como taurina e arginina, são essenciais para a espécie

Apesar do fato de que os gatos foram domesticados há milhares de anos, a espécie ainda mantém algumas particularidades metabólicas originadas nos ancestrais selvagens que tinham uma dieta restrita a tecidos de origem animal. O gato é considerado um carnívoro estrito, sendo assim, pouco adaptado a mudanças em sua dieta. Isto tem influência direta em suas necessidades nutricionais e preferência alimentar.

Decorrente da ineficiência ou extinção de algumas vias metabólicas, essa espécie requer dieta rica em proteínas, além de nutrientes essenciais, tais como, arginina, taurina, niacina, vitamina A, D e ácido araquidônico. Outro fator bem importante para os gatos é a palatabilidade da dieta.

Os aminoácidos essenciais na dieta dos gatos são a arginina, histidina, isoleucina, leucina, lisina, metionina, treonina, triptofano, valina, taurina, niacina. A arginina e taurina são aminoácidos vitais na dieta dos gatos e que não ocorrem na maioria das espécies. Os gatos são bastante sensíveis à ausência de arginina em sua alimentação, pois não são capazes de sintetizar arginina a partir do glutamato e glutamina. A arginina participa nas reações anapleróticas para estimular a síntese de ureia por meio da transformação da amônia resultante do ciclo da ornitina e metabolismo do nitrogênio.

A deficiência de arginina na dieta pode resultar em hiperamonemia, desencadeando sinais clínicos de intoxicação por amônia que incluem: letargia, vômitos, vocalização, hipersalivação, hiperatividade e ataxia, que podem levar à bradipneia, cianose e morte.

Já a taurina é um aminoácido que ocorre livre nos tecidos animais, ou seja, não se conjuga a grandes proteínas. Sua síntese requer atividade da metionina e cisteína em associação com enzimas conversoras, porém, nos gatos essas atividades enzimáticas são muito limitadas. Além disso, a espécie necessita de taurina adicional para conjugação dos ácidos biliares.

As dietas com níveis inadequados de taurina podem desencadear deficiência nutricional, acarretando infertilidade e má formação embrionária, cardiomiopatia dilatada e degeneração central da retina.

Confira o artigo completo na edição de julho da C&G VF. Clique aqui.

Fonte: Redação Cães&Gatos VET FOOD. 

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.