Assine

Ferramenta auxilia na identificação de dor em gatos

A Feline Grimace Scale (FGS) foi criada em 2018 e está disponível em site

Identificar os níveis de dor de um gato não é a tarefa mais fácil dentro da rotina clínica. Para ajudar nessa questão, a Feline Grimace Scale (FGS – Escala Facial de Gatos, em português) foi criada, em 2018.

A ferramenta, baseada em características faciais do gato, agora é disponibilizada em site. Segundo um dos profissionais responsáveis pelo desenvolvimento da mesma, o médico-veterinário, formado pela Universidade Estadual de São Paulo (UNESP/Botucatu), diplomado do Colégio Americano de Anestesia e Analgesia Veterinária (ACVAA) e professor da Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade de Montréal, do Canadá, Paulo Steagall, a FGS foi o trabalho de doutorado de uma outra brasileira, Marina Evangelista, com a contribuição dele e de outros profissionais, para ajudar médicos-veterinários a reconhecer a dor aguda na espécie.

“Com base nas suas pontuações, é possível perceber se a administração de analgésicos se faz necessária. Já o website foi criado com o intuito de disseminar o conhecimento sobre a ferramenta e melhorar o bem-estar e a saúde dos felinos, por uma equipe de três brasileiros, composta por mim, a médica-veterinária Beatriz Monteiro e o web designer Danilo Santana”, explica. Steagall.

Ainda de acordo com ele, a ferramenta foi desenvolvida utilizando vídeos de gatos com e sem dor que foram atendidos no Hospital Veterinário Docente (CHUV - Centre Hospitalier Universitaire Vétérinaire), da Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade de Montréal. “Os animais foram avaliados previamente e foi realizada a administração de analgésicos caso eles apresentassem características de dor. O responsável pelo pet assinou um termo de consentimento livre e esclarecido para a inclusão do gato no estudo. O tratamento e os cuidados foram conduzidos por meio de técnicas Cat-Friendly. Nenhuma das manipulações induziu dor ou dano potencial aos gatos”, diz.

O profissional também pontua que os escores totais, levando em consideração as cinco unidades de ação da escala - posição das orelhas, dos olhos, tensão do focinho, posição dos bigodes e da cabeça - foram diferentes entre os animais com dor e sem dor.

Para saber mais, confira a reportagem completa na Editoria Tome Nota, clicando aqui.

Fonte: Redação Cães&Gatos VET FOOD. 

LEIA TAMBÉM:

Saúde preventiva é tema de maior campanha da Royal Canin no Brasil

Câncer de mama também deve ser prevenido em cadelas e gatas

Médico-veterinário brasileiro cria app que detecta dor em gatos

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.