Assine

Mau comportamento de cão pode ser culpa de comichão

Animais com dermatite atópica canina podem ficar agressivos

Os resultados de um estudo recente comprovaram uma ligação direta entre a gravidade da comichão em cães com dermatite atópica e determinados comportamentos problemáticos.

Os investigadores da Escola de Medicina Veterinária da Universidade de Nottingham, no Reino Unido, inspiraram-se em estudos de Medicina Humana que demonstraram uma ligação entre condições pruriginosas e o sofrimento psicológico, podendo resultar em problemas de saúde mental. 

Assim, colocaram a hipótese de a dermatite atópica canina (DAC) poder ter um efeito semelhante nos cães e realizaram um estudo para verificar se esses cães tinham comportamentos considerados problemáticos e se tal poderia ser resultado do estresse psicológico provocado pela sua condição. 

Para o estudo on-line criado para investigar as causas genéticas e ambientais da DAC, Itchy Dog Project, foram recrutados detentores de raças puras de golden e labrador retrievers, que preencheram questionários sobre o comportamento do cão e a saúde da sua pele. Do total de participantes caninos (895), 343 tinham sido diagnosticados com DAC e os restantes 552 cães saudáveis serviram como controlo. Os tutores dos animais de estimação não conheciam a hipótese do estudo aquando do preenchimento dos questionários. 

A partir do estudo, os investigadores conseguiram identificar uma ligação direta entre a gravidade da comichão nos cães com dermatite atópica e comportamentos considerados problemáticos, como mastigação, hiperatividade, coprofagia, roubo de comida, procura de atenção, excitabilidade, entre outros. 

Os resultados não mostraram, contudo, uma associação entre prurido e comportamentos geralmente ansiosos, temerosos ou agressivos. “O estudo mostrou, claramente, uma relação entre as ocorrências de comportamento problemático nos cães e a comichão crônica”, disse a investigadora chefe Naomi Harvey, por meio de um comunicado à imprensa. 

Estes resultados são importantes para o bem-estar destes animais e para o seu tratamento, pois é necessário que os tutores consigam identificar estes casos para compreenderem que, por vezes, o mau comportamento do animal pode estar relacionado com a comichão e não ser, necessariamente, culpa do cão. 

“Isto pode ter um efeito de arrastamento e impactar a relação entre tutor e cão, o que significa que é importante para os humanos saberem que os problemas comportamentais do cão podem ser devidos à comichão e não ao próprio cão”. Esta questão é da maior importância, segundo ela, uma vez que, tal como o estudo refere, os problemas comportamentais são a principal razão dada para abandonar os animais aos abrigos. 

Clique aqui para acessar a pesquisa.

Fonte: Veterinária Atual, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.