Assine

Piometra pode ou não estar associada à infecção bacteriana

Ainda, há possibilidade de estar relacionada a casos de sepse

O complexo hiperplasia endometrial cística/piometra (HEC/piometra) é uma das patologias mais comuns entre cadelas atendidas no setor de emergência de pequenos animais. 

Ela pode ou não estar associada à infecção bacteriana e possui grandes chances de desencadear a síndrome da resposta inflamatória sistêmica - SIRS (cerca de 80% dos casos) ou a sepse e o choque séptico (aproximadamente, 86,6% dos casos), com uma taxa de mortalidade que varia de 3,2% a 67% na literatura. 

A SIRS corresponde a uma resposta inflamatória a uma variedade de insultos clínicos e pode estar ou não associada a um foco infeccioso. O diagnóstico em cães é realizado a partir da alteração de, pelo menos, dois destes quatro parâmetros: frequência cardíaca maior que 120bpm, frequência respiratória maior que 20mpm, temperatura retal menor que 38,1°C ou maior que 39,2°C, contagem de leucócitos maior que 16x109cél/L ou menor que 6x109cél/L; ou contagem de bastonetes maior que 3%. 

Por sua vez, a sepse é uma disfunção orgânica com risco à vida promovida pela resposta desregulada do hospedeiro frente à infecção. O choque séptico é um subtipo da sepse, em que apresenta hipotensão refratária à reanimação volêmica adequada, com consequente necessidade de vasopressor, associada à hiperlactatemia. 

Confira os detalhes sobre critérios clínicos e laboratoriais no artigo publicado na edição de novembro da C&G VF. Clique aqui

Fonte: Redação Cães&Gatos VET FOOD. 

 

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.