Assine

Recém-formado: saiba como providenciar seu registro profissional

Porta-voz do Conselho de São Paulo esclarece as etapas do processo

Cláudia Guimarães, da redação

claudia@ciasullieditores.com.br

Após passar por todo o percurso da graduação de Medicina Veterinária, os recém-formados buscam deveres e caminhos para definirem sua carreira. Mas, antes de pensar em qualquer item necessário para exercer a profissão, o veterinário deve dar prioridade para o mais primordial: o registro profissional.

Assim como foi uma pergunta da nossa leitora Letícia Carvalho Bárrio, acreditamos que muitos outros estudantes já queiram tirar as dúvidas sobre esse ponto. Para isso, conversamos com a coordenadora de Atendimento e Registro, do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo (CRMV-SP), Geni da Silva.

email
Para solicitar o registro, o interessado deve enviar um
e-mail ao Setor de Atendimento do CRMV de seu Estado
para obter as orientações (Foto: reprodução)

Ela explica que, para iniciar o processo de inscrição no CRMV de cada Estado é necessário ter concluído o curso e colado grau, ou seja, não há a possibilidade de adiantar este item enquanto ainda estiver na graduação. “De posse do certificado de colação de grau ou diploma, o passo seguinte é enviar um e-mail ao Setor de Atendimento do CRMV-SP ou para as nossas Unidades Regionais, solicitando informações sobre documentos, taxas e anuidade para a inscrição”, aponta.

Um ponto importante levantado pela profissional é que não existe prazo limite para dar entrada no processo. “A inscrição poderá ser requerida logo após a colação de grau ou poderá requerê-la apenas quando for exercer as atividades profissionais. No entanto, para o exercício da profissão é obrigatório estar inscrito no CRMV e ser portador da cédula de identidade profissional, de acordo com a Lei Federal nº. 5.517/68”, frisa.

E depois disso? Após o envio do e-mail solicitando as informações relativas à inscrição, Geni conta que o graduado receberá a resposta com os documentos necessários e as taxas para a inscrição. “Após isso, deverá comparecer na sede do CRMV-SP ou em uma das nossas Unidades Regionais distribuídas no Estado de São Paulo, munidos dos documentos para dar continuidade no processo de inscrição que se iniciou com o envio do e-mail. Neste momento será preenchido o cadastro e os documentos serão digitalizados”, discorre. Vale lembrar que o mesmo vale para todos os Estados, já que o processo de registro profissional é padronizado para todas as localidades.

Geni adiciona que, depois disso, o profissional receberá um protocolo com o qual poderá acompanhar os trâmites do seu processo. “Todo processo de inscrição será submetido à aprovação em Sessão Plenária e, somente após essa fase, será atribuído o número de inscrição. O profissional será convocado para receber a cédula de identidade profissional em sessão solene, em local definido pelo CRMV”, revela. Normalmente, segundo a coordenadora, o prazo, desde o início do processo até o recebimento da cédula de identidade profissional, é de até 40 dias úteis.

registro
Depois do registro, para realizar bons atendimentos,
é importante que os veterinários se mantenham
atualizados (Foto: reprodução)

É preciso atualizar? De acordo com Geni, apenas quando a inscrição for realizada com a apresentação do certificado de colação de grau, pois o graduado ainda não recebeu o seu diploma, é preciso atualizar o documento. “Para essa situação, será emitida a cédula de identidade profissional provisória, a qual tem validade de 12 meses. Antes de vencer o prazo, o veterinário deverá solicitar a emissão da cédula definitiva. Para isso, é necessário apresentar o seu diploma de graduação. Não havendo a apresentação do diploma no prazo estipulado, a inscrição será, automaticamente, cancelada.

A partir do momento em que o médico-veterinário recém-inscrito recebe a sua cédula de identidade profissional – seja provisória ou definitiva –, ele já está apto para o exercício das atividades profissionais, não havendo nenhum prazo de carência.

Atuação. Para Geni, somente por meio da inscrição o graduado se habilita ao pleno exercício da profissão. “O seu número é pessoal e intransferível. É a sua identificação enquanto profissional e este deverá constar em todos os atos de sua vida profissional. O registro carrega o peso da responsabilidade”, opina.

Mas, além de receber o registro profissional, Geni destaca que é importante que os veterinários se mantenham atualizados quanto às normas e regulamentos que regem a profissão. “É essencial que tenham conhecimento do Código de Ética e que exerçam a profissão com integridade, responsabilidade e consciência de seus direitos e deveres. Também é importante manter seu cadastro sempre atualizado, comunicando qualquer alteração, seja de dados pessoais ou de endereço. O CRMV está à disposição para orientar e esclarecer quaisquer dúvidas pertinentes à profissão”, encerra.

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.