Assine

Superbactéria reforça treinamento dos clínicos para este problema

Ocorrência é preocupante e exige conscientização dos veterinários

No Reino Unido, descobriram uma superbactéria resistente a antibióticos de último recurso foi descoberta em um cão da raça springer spaniel, depois de ter sido isolada a bactéria Escherichia coli (E. Coli) numa ferida do animal.

De acordo com o médico-veterinário, doutor em Ciências, pesquisador na área de Infectologia Veterinária, Fábio Parra Sellera, este fato é bastante preocupante, principalmente porque, na maioria dos casos, estas bactérias são resistentes a outras classes de antibióticos, limitando as opções terapêuticas e criando novos desafios para os clínicos. “Entretanto, vale a pena ressaltar que a ocorrência de bactérias com este perfil de resistência ainda é considerada rara em cães e gatos. Até o presente momento, há pouquíssimos casos descritos no mundo todo. Particularmente no Brasil, existem apenas dois casos reportados”, explica Sellera.

No caso apresentado no Reino Unido, Sellera comenta que é difícil determinar a razão específica do surgimento da superbactéria. “Existem dois fatores que podem ser considerados facilitadores para o surgimento destas bactérias em animais de companhia. O primeiro refere-se ao uso empírico de carbapenêmicos para tratar infecções em animais. O segundo contempla a transmissão de seres humanos para seus animais de estimação, principalmente devido ao contato próximo entre eles no ambiente doméstico”, detalha. 

Leia aqui a entrevista completa na edição de maio da C&G VF. 

Fonte: Redação Cães&Gatos VET FOOD.

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.