Assine

Suporte alimentar faz a diferença no tratamento da DRC em pets

Alimentos palatáveis auxiliam na aceitação da dieta de cães e gatos

A doença renal crônica (DRC) em cães e gatos é uma enfermidade caracterizada pela presença de anormalidade funcional ou estrutural em um ou ambos os rins há pelo menos três meses. O estadiamento da doença deve ser realizado após o diagnóstico de DRC, sugerindo-se para isto os critérios da IRIS (International Renal Interest Society: iris-kidney.com). 

A monitoração seriada do paciente é imprescindível e o tratamento deve ser realizado de forma individual, de acordo com o estadiamento da doença e adaptado conforme a resposta do animal. O objetivo do tratamento do paciente DRC é: controlar os sinais clínicos de uremia; controlar o hiperparatireoidismo renal secundário; minimizar os distúrbios associados ao desequilíbrio hidroeletrolítico e ácido-básico; proporcionar nutrição adequada para que o animal mantenha condição corporal e saúde; reduzir quanto possível a progressão da DRC. 

Ao se estabelecer o suporte alimentar para cães e gatos com DRC, é importante se considerar os principais fatores nutricionais do alimento. Os intervalos de nutrientes recomendados foram estabelecidos com base em teores avaliados em cães e gatos com DRC de ocorrência natural e experimentalmente induzida. 

Manejo alimentar. A eficácia do tratamento nutricional é dependente do fornecimento do alimento de forma consistente e exclusiva. Acredita-se que cães e gatos com DRC sofrem alteração nos sentidos do paladar e do olfato e, ainda, apresentam forte probabilidade de desenvolver aversão alimentar, que surge quando eventos adversos, como hospitalização, náusea, vômitos e coleta de sangue, estão associados à alimentação. Desse modo, recomenda-se não instituir mudanças na dieta enquanto os pacientes estiverem hospitalizados ou em crise urêmica. Pelo contrário, a dieta de suporte renal deve ser instituída no ambiente doméstico e confortável, quando o paciente se apresentar controlado e normorético. 

Leia aqui o artigo completo na edição de maio da C&G VF.

Fonte: Redação Cães&Gatos VET FOOD. 

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.