Assine

Técnica ‘low stress’ visa minimizar desconfortos aos pets na clínica

Com animais mais cooperantes, veterinários podem realizar um atendimento melhor

A abordagem low stress começa a ganhar terreno hoje em dia, consistindo em um conjunto de medidas de manejo do animal e do ambiente clínico que pretendem minimizar o estresse do indivíduo. Dizem os especialistas que, com a redução de estresse, é possível lidar com animais mais cooperantes, a fim de prestar mais e melhores cuidados de saúde, além de garantir clientes satisfeitos, que não hesitam em voltar. 

Em Portugal, alguns centros de atendimento médico-veterinários já começaram a aplicar a abordagem low stress, embora seja algo ainda recente e esteja em expansão, como destaca as veterinárias Marta Vieira, Margarida Câmara e Sofia Arroube, que já utilizam a técnica no dia a dia. Segundo Margarida, existem estudos que indicam que a visita à clínica pode ser um momento de estresse para os animais e para os seus tutores, que, por conta disso, evitam a situação. “Mas, ao conseguir minimizar os desconfortos, teremos animais mais calmos e, além disso, a abordagem permite reduzir os riscos relacionados com a agressividade dirigida à equipa clínica”, remata Marta Vieira. 

Conforme explica Sofia Arroube, o manejo low stress nas clínicas veterinárias é um tema que está em grande desenvolvimento e cuja importância é cada vez mais reconhecida em todo o mundo. Segundo a médica-veterinária do Serviço de Etologia, do Hospital Clínico Veterinário, da Universidade Autônoma de Barcelona, Camino Garcia-Morato, normalmente, estas medidas são focadas no próprio dia de consulta. “No entanto, embora ajudem o animal a perceber de uma forma menos aversiva/estressante a situação no centro veterinário, é necessário fornecer, igualmente, uma abordagem preventiva”, destaca. 

Em suma, de acordo com a médica veterinária, que realiza residência no Colégio Europeu de Bem-estar Animal e Medicina do Comportamento, a abordagem low stress visa preparar os cães e os gatos para a sequência de eventos que, geralmente, geram estresse quando vão ao consultório, que inclui, no mínimo, o transporte e tudo relacionado com a atividade veterinária. A única maneira de os animais deixarem de relacionar a experiência clínica a algo desagradável é, então, habituá-los a essa situação e fornecer previsibilidade em relação ao que experimentarão nesse contexto. 

Fonte: Veterinária Atual, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.