Assine

Tamanho desigual das pupilas dos gatos é chamado de anisocoria

Problema não é uma doença, mas, sim, um sinal de doença oftalmológica

Um gato sempre chama atenção pelo olhar. Eles apresentam a pupila em formato de fenda – e não circular como as pessoas ou os cães -, explica o médico-veterinário especializado em Oftalmologia Animal, membro do Colégio Brasileiro de Oftalmologia Veterinária (CBOV), responsável pelo Serviço de Oftalmologia Veterinária do Hospital Veterinário Garra (Curitiba/PR), Leandro Lima. 

Segundo ele, se um gato apresenta uma pupila dilatada (midríase) e outra contraída (miose), ele está com anisocoria. “A pupila em fenda, por sua vez, facilita a observação desta condição. 

De acordo com Lima, a anisocoria é uma alteração em que se observa o tamanho desigual das pupilas, ou seja, uma pupila diferente da outra. 

Mas o profissional frisa: anisocoria não é uma doença. “É, na verdade, um sinal clínico ocular que pode ocorrer em uma série de doenças oftalmológicas. Ocorre tanto em gatos quanto em cães, pássaros, entre outros animais. Normalmente, ambos os olhos apresentam a pupila do mesmo tamanho”, explica. 

Lima explica que o exame oftalmológico veterinário é a forma mais adequada para diagnosticar qual a causa da anisocoria e inclui a mensuração da pressão ocular e avaliação do fundo do olho com equipamentos adequados. “Porém, os tutores responsáveis pelos seus gatos costumam observar o problema quando tiram uma foto com flash ou quando iluminam os olhos com alguma lanterna ou fonte de luz. Ao iluminar o olho do gato, a resposta normal seria a diminuição do tamanho da pupila (miose)”, comenta. 

Ele afirma que, como a anisocoria é um sinal de um problema, cada situação exige um tratamento específico. “Mas sim, há tratamento. Quando o olho inflamado está com anisocoria, o uso de colírios e medicamentos anti-inflamatórios pode melhorar a condição. Quando a anisocoria é um sinal de glaucoma, o uso de colírios para controle da pressão ocular pode ser recomendado. Mas, para cada caso, há um tratamento específico, exigindo, por vezes, tratamento sistêmico. Ainda assim, é importante ressaltar que a anisocoria pode ser apenas a ponta do ‘Iceberg’ e que, provavelmente, o médico-veterinário oftalmologista deverá solicitar outros exames auxiliares para saber a origem do problema, como exemplo exames de sangue, sorologia específica para determinadas doenças, ultrassonografia ocular, entre outros”, menciona. 

Leia a reportagem completa na edição nº 234 da C&G VF. Clique aqui.

Fonte: Redação Cães&Gatos VET FOOD. 

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.