Assine

Transferência de chimpanzé de zoo em Sorocaba gera polêmica

Ativistas não concordam com a decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo

O chimpanzé Black foi transferido do Parque Zoológico Municipal "Quinzinho de Barros" para o Santuário de Grandes Primatas, em Sorocaba (SP), no dia 06 de maio. Uma decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) determinou a transferência do animal para o santuário até o dia 08 de maio. Como o zoológico não abre de segunda-feira, esse foi o dia escolhido para o procedimento. 

A falta de convívio com a espécie foi um dos argumentos do pedido de transferência, feito pela Agência de Notícias de Direitos Animais (ANDA) e pela Associação Sempre Pelos Animais, de São Roque (SP). A transferência é discutida na Justiça há mais de um ano. Em primeira instância, a mudança foi negada, mas, agora, uma nova decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo foi favorável. 

Ao som de "Fica Black", cerca de 12 manifestantes foram ao zoológico por volta das 8h15 para tentar impedir a entrada do caminhão que faria o transporte de Black. A Guarda Civil Municipal (GCM) separou os manifestantes e o veículo entrou no parque. Funcionários do zoológico e representantes do santuário utilizaram uma gaiola para fazer a transferência do chimpanzé. Para que Black pudesse entrar nela, colocaram alimentos dentro. A ideia era que ele entrasse de livre e espontânea vontade para que não fosse necessário uso de sedação, já que o animal é idoso e tem cerca de 50 anos. 

'Cordão humano'. O líder dos manifestantes, Herbert Rudolfi, explicou que estudantes de Medicina Veterinária e Biologia, além de biólogos fizeram parte do "cordão humano" e acompanham o caso desde o início. "Isso só vai trazer risco para o animal, ele vai ficar estressado. No zoológico ele pode ter uma vida tranquila, tirar ele daqui é fazer ele passar por um sofrimento desnecessário. É uma mudança drástica", diz. No entanto, o representante jurídico das entidades que solicitaram a transferência, Luciano Ferro afirma que, no zoológico, o animal vive em situação de isolamento e, no santuário, terá contato com outros animais. “Ele já esteve no santuário e teve um bom histórico. O recinto do Black já está preparado para recebê-lo. Ele vai ter paz", comenta. 

Segundo o promotor do Meio Ambiente, Jorge Marum, a decisão judicial deve ser cumprida, mas pode haver discussão no processo, ou seja, a reversão dessa decisão. "Não é uma decisão definitiva, é uma liminar. O processo continua, vão ser colhidas provas, vão ser ouvidos especialistas para que a decisão seja tomada com respaldo técnico da melhor forma possível", explica. 

Resgatado de circo. Black chegou ao zoo de Sorocaba na década de 1970, quando foi resgatado de um circo. Segundo os veterinários do local, ele teve duas companheiras. Desde que a última morreu, há cerca de 10 anos, Black vive sozinho. Segundo Marum, a promotoria deu parecer favorável para a transferência e fez reuniões entre o grupo e o Legislativo para viabilizar o cumprimento da decisão. "Ele é idoso, já trabalhou em circo, está solitário e também já está há muito tempo no zoo. Penso que seria uma aposentadoria merecida. Claro que também levei em conta os laudos técnicos anexados ao processo", diz. 

Santuário de Grandes Primatas. O santuário em Sorocaba é uma propriedade particular, mantida por sua família fundadora, e é afiliado ao Great Ape Project/Projeto dos Grandes Primatas (GAP). Em 2014, Black esteve temporariamente no santuário, a pedido do próprio zoológico, para manutenção de sua jaula. Segundo ativistas, o período em que o animal passou no santuário foi importante para a socialização com outros membros da espécie, inclusive ele conquistou uma "amiga", chamada Margarete. 

Fonte: G1, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.