Assine

Tutor deve estar atento aos sinais de surdez de cães e gatos

O animal não atender quando é chamado pode ser um sinal de alerta

Os tutores devem estar atentos à saúde de seus animais de estimação ao longo de toda a vida, mas, principalmente, quando o pet for idoso. Essa fase pode trazer alguns problemas, como a perda de audição.

Se, no dia a dia, o animal não está respondendo aos comandos, está latindo ou miando alto demais, ou não notando a chegada de outras pessoas em casa, é o momento de estar em alerta, segundo médica-veterinária do Vet Quality Centro Veterinário 24h, Livia Romeiro.

Perder a audição não faz o pet ser menos capacitado de entender ordens e ter uma boa vida sem este sentido. Porém é necessário atenção para possíveis doenças que a surdez pode trazer.

Diversas vezes, os tutores só percebem que o seu animal de estimação está com algum problema de audição depois de muito tempo e a situação já está mais agravada. Portanto, se o cão ou gato tem tendências a esses sintomas, é preciso levar ao veterinário para exames e diagnosticar o problema.

A surdez, se não diagnosticada previamente, podem levar o cão a não aprender regras simples de convivência e, se o tutor não entender essa deficiência em seu cão, pode ter sérios problemas em se manter presente para o animal. “A única diferença entre cães capazes de ouvir e cães surdos é apenas isso: audição. Cachorros surdos tem completa capacidade de aprender as regras, é somente necessário um pouco mais de paciência com o animal. Já a surdez em gatos dentro de casa não é um grave problema em questões de convivência, mas, se ele está acostumado a sair na rua, é importante tomar muito cuidado pois as defesas dele ficam menos aguçadas”, destaca.

Quais as causas? A otite, inflamação no ouvido que pode provocar dores e incômodos, é o mais comum de se manifestar, mas alguns cães podem herdar e surdez de seus pais ou apresentar outras doenças relacionadas. As infecções crônicas causadas por fungos e bactérias e infecções virais, como cinomose, também estão entre as causas da surdez em cães.

O uso de antibióticos e de medicamentos em doses elevadas ou ingeridas por uma duração de tempo elevada, também pode provocar problemas futuros na audição do animal. “Os cães idosos também são mais sensíveis a doenças relacionadas com a audição, como é o caso da Síndrome Cushing, que é causada por tumores nas glândulas adrenais e tumores na hipófise. 

Uma queda ou um trauma também podem causar problemas na audição do pet, pois, dependendo da pancada, pode lesionar um nervo importante para a audição. É necessário atenção e cuidados médicos caso ocorra algum acidente”, alerta.

Os felinos também podem nascer surdos ou desenvolver progressivamente problema durante a vida. Porém, segundo a veterinária, é difícil detectar essa doença, pois os outros sentidos dos gatos são muito mais aguçados também. As causas da perda de audição nos gatos pode ser a idade. “Após 10 anos, a probabilidade de o felino perder a audição é grande. Infecções de parasitas ou fungos que não sejam tratadas rapidamente, podem ser um causador para surdez.

Problemas neurológicos também entram na lista de causas para um gato perder a audição, assim como lesões e traumas não tratados de forma rápida”, menciona.

Os filhotes, caso não sejam realmente surdos, podem ter uma surdez temporária devido à cera acumulada ou alguma lesão. Alguns gatos que herdam o Gene W têm uma predisposição maior a essa deficiência. Esses são os gatos totalmente ou parcialmente brancos e de olhos azuis.

Como identificar a surdez? Nos cães, a surdez fica muito mais em evidência no dia a dia. Os latidos frequentes e altos podem ser maiores em cachorros surdos, assim como o comportamento assustado ou agressivo quando o tutor o toca. A desobediência do chamado, a falta de interação apenas pelo som da voz, também pode ser um sintoma causado pela surdez em cachorro. “Uma maneira eficiente de descobrir se o cão está com problemas na audição é fazer testes utilizando objetos que façam algum barulho e analisar a reação dele ao fazê-lo”, indica.

Em gatos, é mais difícil a identificação. Eles podem sobreviver tranquilamente apenas com a visão e o olfato aguçado. “A percepção será pelo modo de comportamento na rotina. Observar quando o gato não vai em direção aos tutores quando chegam em casa e se o miado estiver alto demais. Se for surdez em apenas uma das orelhas, muito frequentemente o felino irá virar a cabeça somente para o lado no qual ele ouviu o ruído. Lembrando que esses podem ser somente alertas, então, é preciso consultar um veterinário de confiança para que sejam feitos exames para confirmação de surdez no cachorro ou no gato”, finaliza.

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Arquiteta dá dicas para decorar a casa com materiais "pet friendly"

Homeopatia: veterinária comenta técnica contra pulgas e carrapatos

Alta incidência de FELV no Brasil representa descaso público 

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.