Assine

Unoeste recebe veterinária da Ceva Saúde Animal para palestra

Apresentação foi sobre feromônios sintéticos que amenizam o estresse de pets

Tratar cães e gatos como filhos é uma prática bem comum entre os tutores. O processo de humanização dos pets tem gerado inúmeras oportunidades: serviço clínico especializado, oferta de espaços como creche e hotel, estética animal, entre outros. “Entretanto, é importante lembrar que cada espécie, por mais que conviva no ambiente familiar, ainda possui suas particularidades e quando essas condições não são respeitadas (muitas vezes por falta de conhecimento do tutor), o animal pode apresentar alterações comportamentais como ansiedade, marcação territorial excessiva com urina, latido excessivo e agressividade”. Essas orientações foram passadas aos acadêmicos do curso de Medicina Veterinária da Unoeste, no dia 06 de novembro, pela veterinária técnica de campo da Ceva Saúde Animal, Denise Theodoro da Silva. 

A atividade foi desenvolvida por meio de uma parceria entre a graduação da universidade e a Pazin Vet que é a representante do Ceva Saúde Animal em Presidente Prudente (SP). Segundo Denise, o uso dos feromônios sintéticos pode resultar no conforto e no bem-estar de cães e gatos em situações estressantes como mudanças, visitas ao veterinário e muito barulho. “Os feromônios são sinais químicos produzidos naturalmente em algumas partes do corpo do animal e que servem para realizar a comunicação entre os indivíduos da mesma espécie. O laboratório Ceva, em décadas de pesquisa, além de identificá-los, conseguiu sintetizar três feromônios felinos (linha Feliway) e um canino (Adaptil) que são utilizados por veterinários de todo mundo”, explica. 

Ela comenta que a utilização de feromônios sintéticos na rotina clínica tem como objetivo amenizar o estresse do paciente, trazendo conforto e bem-estar e, com isso, o veterinário pode realizar uma consulta mais calma e tranquila, diminuindo riscos de agressão ou de acidentes, tanto para com o animal, quanto para o profissional. “Um atendimento tranquilo, além de ser uma experiência positiva para o paciente, também conta muitos pontos com o tutor. Durante a minha palestra, falei sobre as principais alterações comportamentais que podem ter complicações clínicas, a utilização dos feromônios sintéticos na rotina clínica e apresentação de dois programas que dão instruções sobre como realizar um atendimento com qualidade e bem-estar animal”, menciona. 

Matheus Lopes Bomfim é promotor técnico veterinário da Pazin Vet e ex-aluno da Unoeste. Ele pontua que é muito importante manter parceria com uma das maiores universidades do Estado de São Paulo. “Temos a oportunidade de apresentar alguns dos nossos produtos. Além disso, a Pazin Vet vem fazendo um trabalho com amostras de medicamentos para auxiliar na rotina, promovendo a experimentação e, consequentemente, o resultado dos produtos que podem gerar uma demanda”, declara. 

Bomfim relata que é um prazer ter uma relação estreita com o ambiente onde se graduou: “Sou grato aos professores e veterinários do Programa de Aprimoramento Profissional do curso que sempre me recebem com muito entusiasmo e atenção. Estar do lado de fora e poder ajudar de alguma forma é muito satisfatório”. Para a diretora da graduação, Glaucia Prada Kanashiro, as parcerias servem de base para o crescimento de ambos os lados: aumentam a credibilidade do curso e acabam sendo uma vitrine do trabalho realizado. 

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.