Assine

Uso da Cannabis medicinal dribla preconceitos na Veterinária

Substância pode beneficiar animais em diversas enfermidades

A reportagem de capa do mês da C&G VF trouxe bastante debate por conta do tema: o cannabis na Medicina Veterinária. Se você ainda não leu, quem sabe se interesse agora.

Na reportagem, o médico-veterinário Fabio Mercante de San Juan explica que a cannabis – nome científico da maconha - é uma planta utilizada desde a antiguidade, com princípios terapêuticos provados pelo seu uso empírico há séculos. Possui mais de 150 canabinoides conhecidos até agora, terpenos e flavonoides, todos com potencial terapêutico e substâncias menores.

O professor no curso de Medicina Veterinária e Agronomia da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Erik Amazonas, afirma que é necessário lembrar o básico: humanos são animais. “Se procurarmos a maioria das doenças humanas, teremos sua correspondência nos animais. Inclusive, os estudos que embasaram o uso em humanos foram todos iniciados em animais, logicamente! O sistema endocanabinoide humano e animal é o mesmo e seus efeitos sob os demais sistemas fisiológicos são os mesmos. A função principal desse sistema é regular todos os demais a fim de manter a homeostasia celular.

Além disso, Erik Amazonas conta que o uso efetivo no combate aos mais diversos tipos de câncer tem sua fundamentação na completa regulação do ciclo celular pelos canabinoides somada ao seu poder imunomodulador. “A maconha controla a proliferação de células, a formação de novos vasos (angiogênese) para o tumor, inibe a remodelagem celular evitando a invasão de vasos pelas células tumorais, a migração a outros tecidos e sua fixação, evitando metástases, além de estimular a apoptose e a autofagia de células comprometidas”.

Leia a reportagem completa neste link.

Fonte: Redação Cães&Gatos VET FOOD. 

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.