Assine

Uso de antioxidantes auxilia na prevenção de doenças crônicas dos pets

Segundo empresa, utilização se dá pela necessidade do controle de estresse

Conhecidos por retardar o envelhecimento, auxiliar na prevenção de doenças crônicas e aumentar o shelf-life dos produtos alimentícios, os antioxidantes também podem beneficiar a saúde dos animais de companhia, como afirma a BRF Ingredientes. Segundo empresa, eles podem ser utilizados na formulação de alimentos para pets (antioxidantes tecnológicos), como na promoção de benefícios à saúde pós consumo (antioxidantes fisiológicos).

O consumo de antioxidantes fisiológicos está relacionado a uma diminuição de doenças crônicas e a uma melhora da saúde cognitiva dos pets, o que torna tais compostos extremamente atrativos do ponto de vista do desenvolvimento de rações ricas em antioxidantes, contendo propriedades funcionais.

A utilização de antioxidantes se dá pela necessidade do balanço entre fatores pró-oxidantes, gerados durante o processo de respiração, e antioxidantes, que podem ser consumidos por meio da dieta, para assim, manter o organismo saudável.

De acordo com o material publicado pela empresa, quando os animais se encontram com a saúde debilitada, com idade avançada, expostos a toxinas ou ingerem uma dieta pobre em nutrientes, este balanço é afetado e o número de fatores pró-oxidantes nas células supera a quantidade de antioxidantes, acarretando no estresse oxidativo.

O problema ocasiona a geração em excesso de radicais livres, provocando uma série de reações em cadeia, danificando a membrana das células, as proteínas e o DNA. Ao se multiplicar excessivamente, também está relacionado ao desenvolvimento de doenças crônicas, incluindo câncer e doenças coronárias.

Para impedir a propagação dos radicais livres e proteger a saúde dos pets, é indicado pela empresa que a alimentação dos pets seja rica em antioxidantes, para a manutenção do sistema imune dos mesmos ao longo da vida.

Também disponibilizado em texto publicado pela Instituição, estudos conduzidos em cães concluíram que os animais idosos que possuem uma dieta rica em antioxidantes são capazes de aprender tarefas complexas com uma taxa de sucesso maior do que aqueles que são deficientes neste tipo de composto. Ainda segundo os pesquisadores, este resultado pode estar ligado à questão de que o estresse oxidativo contribui para que o cérebro dos cães se deteriore de forma mais rápida.

"Outro estudo, também conduzido em cães idosos, concluiu que uma dieta rica em antioxidantes diminui a chance dos animais desenvolverem condições ligadas ao declínio cognitivo, como o reconhecimento mais fácil de seus membros familiares", ressalta o texto.

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.