Assine

Veterinária comenta o que pode causar envenenamento nos pets

Plantas, remédios, produtos de limpeza e outros animais podem ser nocivos aos animais

Quem tem animal de estimação pode não imaginar o perigo que alguns produtos dentro de casa representam à saúde dos pets. Seja por descuido dos tutores ou maldade de alguns humanos que se incomodam com a presença de animais, o número de cães e gatos que vão às clínicas veterinárias com quadros graves de envenenamento é grande. Na maioria dos casos, o motivo de envenenamento é a falta de conhecimento dos proprietários sobre o grau de toxicidade de um produto do qual o animal se aproxima e acaba ingerindo. É preciso saber identificar o que causou o problema e agir de maneira rápida para que a vidas sejam salvas. 

Os tutores devem tomar medidas preventivas para garantir a saúde e o bem-estar dos pets. Além dos pesticidas, como venenos para matar ratos e baratas, muitas coisas podem causar quadros graves de envenenamento em pets. "Produtos de limpeza, medicamentos, cosméticos e animais peçonhentos são agentes de extremo risco", explica a veterinária Livia Romeiro. Além disso, produtos que, a nosso ver, aparentam ser inofensivos podem trazer grandes problemas para os pets. 

A profissional destaca que quem possui jardim em casa deve ter atenção redobrada com animais. “Eles adoram brincar, cavar e comer folhas e flores. No entanto, algumas espécies de plantas, como antúrio, azaleia, espada de são Jorge e bico de papagaio são extremamente tóxicas”, frisa. E a lista é maior ainda: mamona, lírio, babosa, violeta, begônia, coroa de cristo, hibisco, dama da noite, samambaia, hortênsia, arruda, tulipa, comigo ninguém pode, espirradeira e copo de leite devem ficar longe do animal de estimação. 

Muitos remédios humanos, como o diclofenaco sódico e potássico, não são próprios para consumo animal e podem causar reações caso ocorra a ingestão. “Produtos de limpeza, como álcool, água sanitária, removedor, querosene, desinfetante, detergente, sabão em pó, amaciante, entre outros, podem ser ingeridos pelo bicho e envenená-lo”, alerta. 

Além dos itens já mencionados, alimentos, como chocolate, pimenta, alho, cebola, café, carambola, macadâmia, cascas e folhas de abacate, sementes de maçã e pera podem envenenar cães e gatos. “Animais também causam envenenamento. É o caso de aranha, algumas espécies de formiga, vespa, abelha, escorpião e cobra são exemplos de animais nocivos para os pets”, insere. 

Principais sintomas de envenenamento. É preciso ficar atento caso o animal apresente quadros de salivação excessiva e com espuma, vômito, diarreia, dificuldade para caminhar, desequilíbrio, tremores, dificuldade para respirar, convulsões, sangue na urina e diminuição da frequência cardíaca. “Além disso, é necessário observar se ele está sonolento, apático, desorientado ou com as pupilas dilatadas ou contraídas. Vale lembrar que os sinais clínicos podem variar de acordo com o porte, raça, genética e outras características particulares de cada animal. Os sintomas também variam de acordo com o tipo de substância que foi ingerida”, explica Livia. 

Se o animal apresentar alguns desses sintomas, o ideal é leva-lo imediatamente para um veterinário 24 horas, que conte com uma equipe qualificada e infraestrutura completa para dar assistência ao pet. “Não ofereça nada ao animal. Muitas pessoas acreditam que o leite ou água podem neutralizar a ação das toxinas ingeridas, mas isso pode piorar o quadro. O que realmente fará a diferença é a agilidade no atendimento especializado. O tutor deve informar ao veterinário sobre o produto ingerido ou animal que o atacou e, caso ele presencie a ingestão do agente tóxico, deve levar a embalagem e mostrar ao especialista”, recomenda. 

Fonte: UOL, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.