Assine

Veterinária lista os 5 principais erros na hora de alimentar os cães

Determinadas atitudes de tutores influenciam na obesidade do pet

O cão tem uma maneira diferente de se alimentar. De acordo com a médica-veterinária e coordenadora de Comunicação Cientifica da Equilíbrio Super Premium (Total Alimentos), Bárbara Benitez, a refeição deve ser regrada e, assim, o tutor evita que seu cachorro fique obeso. 

Mas, existem erros muito comuns que são cometidos pelos tutores na hora da alimentação. Entre os principais deles, está o oferecimento de comida durante a sua refeição. “Os cachorros sabem, como ninguém, pedir comida quando estamos à mesa, mas ao alimentá-lo dessa forma o proprietário estará ensinando que chorar e latir são as melhores maneiras de ele conseguir o que quer. Além disso, o problema de alimentar o pet com comida caseira, além da ração, é que ele consumirá mais calorias do que precisa e pode acabar engordando”, destaca. 

Oferecer restos de comida caseira também é um problema. Segundo a profissional, a ração para cães é balanceada, tem os nutrientes necessários e na quantidade correta para o organismo de acordo com seu estágio fisiológico (filhote, adulto e idoso). “Muitas pessoas acreditam que alimentar os cachorros com sobras das refeições é suficiente ou que podem ser fornecidas como complemento à ração”, reprova. Porém, as necessidades nutricionais dos cães são diferentes das humanas, o que pode levar à desnutrição ou obesidade. Além disso, alguns temperos podem fazer mal ao cachorro e a comida caseira, quando fornecida no longo prazo pode causar tártaro. 

Os cães adoram roer ossos de aves e bovinos, porém não é recomendável, uma vez que podem perfurar o esôfago, estômago ou intestino do cachorro. “Recomendamos os snacks funcionais que são específicos para os cães e trazem inúmeros benefícios para sua saúde e não oferecem riscos de perfurar nenhum órgão digestivo do animal”, indica. 

Deixar o pote de ração sempre cheio dá menos trabalho, mas pode fazer o animal comer além do necessário e gerar um quadro de obesidade, conforme explica a profissional. “O ideal é que cães sejam alimentados de 2 ou 3 vezes por dia e ter uma rotina é importante para o animal. Porém, se a rotina do tutor não permitir, eles podem ser alimentados uma vez ao dia, mas a quantidade precisa ser medida”, alerta. 

Existem muitas rações de cão disponíveis no mercado e é difícil escolher qual oferecer ao pet, como comentado por Bárbara. “Dar a ração certa para o tamanho, idade e raça do cachorro é essencial para a nutrição e saúde dele. Em qualquer fase de vida é preciso fornecer o melhor alimento para o animal”, frisa. 

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.