Assine

Veterinárias homeopatas compartilham vivências dentro da especialidade

No Dia Nacional da Homeopatia, profissionais apontam seus bons resultados

Cláudia Guimarães, da redação

claudia@ciasullieditores.com.br

Fácil administração, resposta eficaz, ausência de efeito colateral e de toxicidade. Essas são as vantagens citadas pela veterinária especialista e mestre em homeopatia e membro da diretoria da Associação de Médicos-Veterinários Homeopatas Brasileira (AMVHB) e da Comissão de Homeopatia do CRMV-SP e sócia proprietária da HD Science Curso especializado em Homeopatia veterinária, Cideli de Paula Coelho, em relação à homeopatia, especialidade homenageada no dia de hoje.

A profissional trabalhava em um mantenedor da Fauna Silvestre e conta que os animais, por serem muito sensíveis, muitas vezes, vinham a óbito e foi, então, que ela passou a buscar outra forma de tratamento mais sútil. “Foi quando conheci a homeopatia e me apaixonei pelos resultados. Isso foi há mais de 20 anos”, relembra.

Por sua vez, a veterinária homeopata, presidente do Instituto Homeopático e de Práticas Integrativas e também membro da Comissão de Homeopatia do CRMV-SP, Talita Thomaz Nader, compartilha que teve contato com a especialidade no último ano de graduação, por meio de uma palestra de uma homeopata que trabalhava com produção orgânica. “Encantada com os resultados apresentados, a partir daquele momento, me interessei pela homeopatia veterinária, ingressei em um curso de especialização e, desde então, a homeopatia tem sido o pilar de toda a minha trajetória profissional e até mesmo pessoal”, declara.

19homeo
Especialidade é legalizada pelos Conselhos médico,
farmacêutico, odontólogo e veterinário (Foto: reprodução)
Experiência compartilhada. Talita conta que trabalha com homeopatia há 15 anos e percebe que, no geral, vem ocorrendo uma crescente busca pelo tema. “Hoje, o perfil do tutor no atendimento clínico homeopático de pets é, em sua maioria, pessoas que já se beneficiam de práticas integrativas e desejam o mesmo para os seus animais. Quanto aos colegas de profissão, também noto maior aceitação e, às vezes, até indicação de casos crônicos, de difícil resolução”, expõe e sua colega Cideli completa: “Sinto o preconceito apenas daqueles que não conhecem e não querem conhecer. O maior problema da homeopatia é a falta de informação, não porque não exista, mas porque os profissionais veterinários não buscam pesquisas a respeito”.

Ela lembra que a homeopatia é uma especialidade médica legalizada pelos Conselhos médico, farmacêutico, odontólogo e veterinário, portanto reconhecida como especialidade médica, além de ser uma terapêutica aceita pela Organização Mundial da Saúde (OMS). “Vejo resultados da homeopatia o tempo todo e em todas as espécies e tenho vários alunos que veem o mesmo resultado em seus animais. Creio que a melhor forma de argumentar com os desinformados, é mostrar resultados e isso faço o tempo todo”, declara Cideli, que também é professora junto à graduação e pós-graduação em Medicina Veterinária, da Universidade Santo Amaro (UNISA).

Comprovações. Talita também salienta que a homeopatia é uma ciência e, como toda ciência, pode ser constatada e comprovada por meio de observações clínicas e pesquisas científicas. “Atualmente, o Brasil está entre os países que mais utiliza e que mais contribui cientificamente para a homeopatia mundial. Nesse contexto, quando a homeopatia é questionada, a discussão não deveria ser sustentada em crenças, mas, sim, no conhecimento técnico e científico”, avalia.

planta19
Muitas pessoas confundem erroneamente algumas terapias
que utilizam plantas como matéria-prima com a homeopatia
(Foto: reprodução)
Cideli aponta que a homeopatia é uma terapêutica muito ampla, agindo em vários aspectos físicos e comportamentais. “Age, inclusive, onde a alopatia não consegue agir efetivamente, como distúrbios comportamentais (que ainda não alcançaram o físico), como pseudociese (gravidez psicológica), coprofagia (comer fezes), Síndrome de Ansiedade de Separação (animais que sofrem muito por ficarem sozinhos em casa), Síndrome Cognitiva Senil Canina (animais que sofrem por medo de fogos de artifício ou pela chegada de outro animal ou criança)”, enumera.

Além disso, a homeopatia, segundo a profissional, também possui ação efetiva em problemas neurológicos (convulsões, AVC etc.), problemas dermatológicos (atopia, dermatite psicogênica, alergia), cálculo renal, insuficiência renal, problemas respiratórios, intestinais, sequelas de enfermidades, como por exemplo a cinomose, e outras enfermidades comuns a cães e gatos. “Apresenta uma ação fantástica em animais silvestres ou pets não convencionais, como aves, roedores, coelhos e etc., com resultado rápido e sem causar estresse aos mesmos, pois a medicação conta com um sabor palatável”, garante.

cideli
Cideli mostra que medicação tem um sabor
palatável que facilita a oferta ao pet
(Foto: divulgação)

Comparações errôneas. De acordo com Talita, é extremamente comum as pessoas confundirem a homeopatia com outras técnicas, principalmente com a fitoterapia: “Uma vez que ambas terapêuticas se utilizam de plantas como matéria-prima de medicamentos. Mas é importante esclarecer que a homeopatia, por se tratar de medicamentos altamente diluídos, não apresenta toxicidade e sua prescrição é baseada na lei dos semelhantes, o que a difere da fitoterapia e outras formas terapêuticas”, explica e Cideli insere: “Essas não são especialidades legalizadas pelos Conselhos de classe e não possuem, ainda, um escopo grande de pesquisas”.

Por isso também que um dos aspectos que Talita considera primordial para a expansão e consolidação da homeopatia veterinária é a introdução do ensino desta terapêutica nas universidades. “Muitos veterinários sequer ouviram falar da homeopatia durante sua formação, fato que colabora para a permanência de crenças e mitos, distanciando a homeopatia da ciência. Além disso, a busca pela especialização (pós-graduação) também sofre com esta falta de informação no processo de formação”, opina.

Ser especialista. Enquanto isso, Cideli menciona que, apesar de seus benefícios, muitas pessoas, ainda hoje, não sabem que existem profissionais veterinários homeopatas: “Muito menos especialistas pelo CFMV em homeopatia, Título este extremamente importante para a classe”, adiciona.

A AMVHB é a entidade que regula os cursos de homeopatia no Brasil. Para a obtenção do Título de Especialista em Homeopatia é necessário, segundo Cideli, participar de um curso de 800 horas/dois anos, legalizado pela AMVHB. “Depois, é preciso fazer a Prova de Título e comprovar expertise na área”, discorre a profissional que chama a homeopatia de “a arte da ultradiluição”: “Pois, para você conseguir os resultados maravilhosos nos animais, é essencial acertar a medicação e se dedicar ao paciente com amor, além de se superar diariamente”, finaliza.

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.