Assine

Veterinários comentam dores crônicas e agudas em gatos

Fármacos de diferentes modalidades devem ser utilizados nos casos

Um bom veterinário sabe que estar diante de um animal com dor, requer paciência, conhecimento e persistência. Para ajudar em um bom atendimento, conversamos com os alguns profissionais sobre as diferenças entre as dores crônica e aguda, como reconhecê-la e tratá-las, além, é claro, apontar os novos tratamentos, especificamente em gatos.

Para começar: qual a diferença entre dor crônica e aguda? Segundo a médica-veterinária, responsável pelos atendimentos direcionados aos cuidados e tratamento da dor no Hospital Pet Care, Nadia Shimosaka, o Guidelines for Recognition, Assessment and Treatment of Pain,  de 2015, (Mathews et al., 2015) explica que a dor aguda pode ser resultado de um evento traumático, cirúrgico ou infeccioso que se caracteriza por apresentar, muitas vezes, início abrupto e uma duração definida pelo processo inflamatório e/ou de cicatrização.

Nadia conta que na dor aguda, observa-se componentes nociceptivos e inflamatórios bem marcantes e, normalmente, alterações fisiológicas como taquipneia, taquicardia, hipertensão, midríase e salivação são indicativos de dor nos gatos. Assim, alterações comportamentais perante a dor aguda são bem evidentes.

O médico-veterinário, responsável pelo Hospital 4cats, hospital exclusivo para felinos, Pedro Horta, afirma que a dor aguda tem uma função fisiológica essencial de proteção e preservação do organismo. “Graças a dor que evitamos maiores lesões e nos protegemos quando não estamos bem. A dor crônica perde essa função protetora, muitas vezes, se tornando uma doença por si só. Tanto que, atualmente, tem se preconizado o nome de dor adaptativa (para a dor aguda) por ter essa função essencial ao indivíduo; e dor mal adaptativa (para dor crônica), por não ter uma função benéfica”, explica.

Levando em consideração que os gatos estão vivendo mais, sabemos que junto com o aumento da expectativa de vida da espécie, crescem os estudos e descobertas sobre a Medicina Felina. E tem acontecido no tocante a dor crônica. Para Horta, apesar dos estudos e pesquisas em felinos serem mais raros, surgem novas opções de tratamentos e novos medicamentos que podem ser usados nesses casos.

Leia aqui nossa reportagem de capa do mês de junho.

Fonte: Redação Cães&Gatos VET FOOD. 

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.