Assine

Veterinários podem divulgar seus preços em conversas privadas

Mas a informação em redes sociais, como comunicação de massa, é proibida

De acordo com o artigo 14 do Código de Ética do Médico-Veterinário, regido pela Resolução nº 1.138, de 16 de dezembro de 2016, é vedado ao médico-veterinário veicular os preços e as formas de pagamento de seus serviços em meios de comunicação de massa e em redes sociais. 

No entanto, se os aplicativos de troca de mensagens, como WhatsApp, Telegram, entre outros, forem utilizados para envio de mensagens informando preços e formas de pagamento direcionadas para um único cliente ou para um número reduzido de pessoas, o fato não implicará em infração ética, haja vista que não poderá ser considerada uma forma de comunicação de massa. 

E a publicidade feita por meio de mala direta, sites na internet, fanpages e perfis de redes sociais?! Essas dúvidas estão devidamente esclarecidas no artigo “Whatsapp e Mala Direta: as possíveis implicações éticas do uso na Medicina Veterinária”, de autoria do médico-veterinário Ismar Araújo de Moraes, em artigo publicado no portal da Universidade Federal Fluminense (UFF, Niterói/RJ). 

Fonte: CFMV, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.