Assine

Vetnil patrocinará projeto de identificação de câncer pelo olfato canino

Ação tem por objetivo a detecção precoce do câncer de mama

A Vetnil fechou parceria com a Sociedade Franco Brasileira de Oncologia (SFBO) para patrocinar o Kdog (Cancer Detect Group) Brasil, projeto de detecção precoce do câncer de mama, por meio do olfato de cães. O projeto, idealizado pelo Institut Curie, do centro de pesquisa e tratamento do câncer da França, já está em funcionamento no País europeu e deve ser implantado no Brasil, na cidade de Petrópolis (RJ), até o início de 2020.

Após uma comitiva brasileira ter passado 12 dias conhecendo os estudos realizados pelo Institut Curie, na França, com especialistas da área veterinária e oncológica, o prefeito da cidade carioca, Bernardo Rossi, viabilizou o espaço, onde um cão está sendo preparado para o serviço.

Recentemente, nos dias 1º e 02 de outubro, os representantes do SFBO participaram do 1º Congresso Internacional de Cães de Biodetecção, onde os Dr. Christian Domenge e Dra. Carla proferiram a palestra ‘Relevância da detecção X outros métodos de diagnóstico’ e falaram sobre o interesse da triagem do câncer de mama precoce no Brasil, com a implementação do projeto Kdog. O câncer de mama é um dos três tipos de maior incidência no mundo e que já representa quase 12% do total dos casos registrados. 

Segundo Dra. Carla Ismael, membro do CTO (Centro de Tratamento Oncológico) em Petrópolis e presidente da SFBO, o objetivo do projeto é sugerir a mamografia àquelas que possuem suspeita de câncer, de acordo com o método Kdog. Ao detectar a doença precocemente, a taxa de cura aumenta e, consequentemente, diminui a agressividade do tratamento e também do custo. “O projeto Kdog é uma aposta médica ousada. Sem contato com a pessoa, os cães conseguem identificar a presença de tumores malignos ao inalar o suor humano coletado por meio de um lenço”, declara. A médica explica que um dos principais motivos do projeto ser realizado em Petrópolis é principalmente por ter uma rede de Programa de Saúde da Família atuante no SUS e que funciona bem quanto à prevenção de enfermidades.

O Kdog nasceu de uma parceria entre as pesquisas de uma ex-enfermeira sobre o cheiro de tumores cancerosos e o trabalho de um adestrador de cães especializados em achar explosivos. Em um teste, utilizando este método, com dois cães da raça pastor-belga treinados, realizado com 130 pacientes voluntárias, a taxa de acerto foi de 100%. Na França, os cães são treinados por uma equipe multidisciplinar do Institut Curie.

A bióloga responsável pela ação, Aurélie Thuleau, explicou que se trata de um protocolo médico extremamente confiável, barato e não invasivo. “Um dos grandes benefícios do projeto Kdog será, com certeza, poder exportar este procedimento para países menos favorecidos, onde a população tem pouco ou nenhum acesso a scanners e outros serviços de diagnóstico médico por meio de imagens. É um método não invasivo, sem dor e mais facilmente exportável para outras regiões ou países”, explica. “O grande trunfo é o olfato poderoso dos cães e agora estamos fazendo pesquisas para identificar o odor de outros tipos de câncer, como o de ovário”, complementou.

“Para a Vetnil é uma honra patrocinar um projeto tão importante como o Kdog, que deve, em longo prazo, beneficiar milhares de pessoas em todo o mundo. Nosso objetivo é facilitar o acesso do protocolo Kdog às mulheres no Brasil, além de disseminar a informação em prol da prevenção e cura do câncer de mama”, afirma o diretor de Marketing e Novos Negócios da Vetnil, Cristiano de Sá.

Fonte: A.I, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.