Assine

Vitiligo em cães pode ser classificado em localizado e generalizado

Doença é considerada rara em cães e raríssima nos felinos domésticos

O vitiligo é uma doença rara em cães e ainda menos recorrente em gatos, tendo poucos relatos descritos. Tal enfermidade consiste em uma alteração adquirida rara que cursa com a despigmentação da pele e pelos. “É considerada de base autoimune, a qual é responsável pela perda de melanócitos das áreas envolvidas”, explica a médica-veterinária, doutoranda em Ciências Veterinárias da Universidade Federal de Mato Grosso, Thalita Peres. 

Segundo ela, o vitiligo pode ser classificado como localizado (VL) e generalizado (VG). “Geralmente, o primeiro apresenta-se de forma unilateral, enquanto o segundo é bilateralmente simétrico”, diz e insere que, no caso do vitiligo generalizado (VG), as lesões se iniciam nas mucosas oral e ocular e posteriormente se difundem pelo corpo de forma bilateral”. 

De acordo com Thalita, os primeiros sinais aparecem, normalmente, em cães adultos jovens, especialmente de raça pura e não possui predisposição sexual aparente. “O diagnóstico de VG é baseado na história clínica do paciente juntamente com exames histopatológicos das áreas despigmentadas”, comenta. 

Para os animais que são diagnosticado, a profissional afirma que deve seguir alguns cuidados. “Recomenda-se aos tutores evitar o contato dos animais com radiação solar por períodos prolongados, principalmente nos horários de maior risco eritemático (das 10h às 16h), bem como a aplicação cutânea diária de protetor solar hipoalergênico fator 30”, explica. 

Leia aqui a reportagem completa, na edição nº 236 da C&G VF.

Fonte: Redação Cães&Gatos VET FOOD. 

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.