Assine

Oferta de alguns legumes pode fazer bem à saúde dos animais de companhia

Porém, berinjela, jiló, cebola e outros podem ser prejudiciais aos pets

A alimentação é um dos principais pilares para a saúde dos animais de companhia. Entre as opções de refeições industrializadas e caseiras, poucas pessoas sabem que alguns legumes podem trazer benefícios à saúde dos pets e outros são extremamente prejudiciais e não devem ser oferecidos. 

A médica-veterinária e diretora Operacional do aplicativo Dot Pet, Lara Torrezan, comenta que os legumes podem ser servidos como alimentação principal e, também, como petisco. “As duas alternativas são possíveis e boas, mas é preciso que a introdução de qualquer alimento na dieta do pet deve ser orientada por um veterinário nutrólogo”, frisa. 

Segundo ela, as alternativas de petiscos, sem excessos, são bem-vindas e alguns legumes podem ser oferecidos sem a chance de quebrar o balanço da dieta. “Claro, cada animal tem sua particularidade”, destaca. No entanto, caso a decisão seja por uma alimentação natural, Lara afirma que os legumes compõem essa a dieta, mas não devem ser servidos sozinhos e não são o ingrediente principal dela.  “Precisamos considerar o seguinte ponto: rações de qualidade são produzidas com todos os nutrientes de forma equilibrada e balanceada de acordo com a necessidade de cada pet: peso, condição corporal do animal, seu estágio de vida, tamanho, entres outras particularidades. A alimentação natural também deve ser equilibrada e balanceada, levando em consideração os mesmos indicadores. E só quem pode fazer isso é um especialista”, declara. 

cenoura
A mastigação da cenoura também limpa os dentes, sendo
ótima para a saúde bucal (Foto: reprodução)

Lara conta que muitos tutores trocam a alimentação sem as informações adequadas, o que provoca uma dieta desbalanceada e, consequentemente, danos à saúde do animal. “Existe uma série de legumes bons e outros ruins. Mas, mesmos os bons, oferecidos fora da proporção nutricional podem se tornar desfavorável”, salienta. 

Os legumes que cães e gatos podem comer são: cenoura, por ser fonte de vitamina A e betacaroteno, melhora a qualidade da pele e da pelagem e garante o bom estado das vistas; beterraba, que contém propriedades nutricionais que garantem o bom funcionamento do intestino; chuchu, fonte de fibras e de fácil digestão, é rico em água e ótimo para usar como petisco para animais que estão fazendo dieta; abobrinha, que, além de conter vitamina A, é fonte rica em vitaminas do complexo B, que dão apoio ao sistema imunológico, digestivo e neurológico. 

A profissional também menciona a ervilha por ser rica em vitamina A, C e K e pouco calórica e auxiliar no equilíbrio do colesterol, gordura e sódio; a vagem, que, segundo ela, é altamente nutritiva é uma boa fonte de ferro e magnésio, minerais benéficos para o sistema imunológico e fortalecimento muscular; e o brócolis, que contém poucas calorias e diversas vitaminas como A, C, B1, B2, B6 e K, além de ser rico em minerais como o potássio, ferro, zinco, cálcio e sódio. 

Para uma melhor absorção e, também, por ser mais palatável, oferecer estes alimentos cozidos e em pequenos pedaços é a melhor opção. “O ideal é ferver os legumes, em média por 15 minutos, a fim de que eles permaneçam crocantes e preservem seus nutrientes”, orienta. 

No entanto, existem aqueles legumes que os pets não podem comer. “Nessa lista consta mandioca brava, batata crua, jiló, pimentão, berinjela, tomate verde, aolho, aolho poró e cebola, brotos da batata, batata verde, folhas e caules de plantas. Sempre que for oferecido algum desses vegetais e legumes, é preciso o caule e as plantas, pois eles comprometem a fisiologia normal do animal”, revela.

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

 

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.