Assine

Ourofino Saúde Animal destaca cuidados com os pets em dias quentes

Picadas de insetos causam incômodos e podem transmitir doenças

A estação mais quente do ano chegou e, assim como o clima demanda cuidados específicos aos seres humanos, os pets também precisam de atenção redobrada. A médica-veterinária e analista Técnica na área Pet da Ourofino Saúde Animal (Cravinhos/SP), Fernanda de Mattos, preparou dicas importantes para todos aproveitarem o verão da melhor maneira possível. 

A profissional faz um alerta para a desidratação, insolação e queimaduras ocasionadas pela exposição inadequada do cão ou gato ao sol. “Não é aconselhável passeios nas horas mais quentes do dia, mas, sim, pela manhã ou no fim da tarde”, aponta. 

Como ela comenta, o calor favorece o aparecimento de insetos e ectoparasitas (pulgas e carrapatos) e, quando não evitados, podem ser prejudiciais para a saúde dos animais, causando lesões físicas, por meio das picadas, e facilitando a transmissão de doenças como a erliquiose (conhecida como doença do carrapato) e a babesiose. “As hemoparasitoses causadas por microrganismos transmitidos durante a picada do carrapato apresentam sintomas inespecíficos, mas, entre eles, estão febre, anemia e perda de apetite”, enumera. 

Outro problema comum aos animais infestados por pulgas e carrapatos são as dermatites alérgicas, também conhecidas como DAPE, causadas pela hipersensibilidade às substâncias presentes na saliva dos parasitas em contato com o sangue dos animais alérgicos durante a picada. “Uma única picada desses parasitas é o suficiente para desencadear o quadro alérgico, por isso, nesses animais, o uso adequado de produtos com atividade tópica é o ideal”, frisa. 

verao
Animal não deve praticar exercício ou
qualquer esforço físico durante as horas de
maior calor (Foto: reprodução)

Para o sucesso no controle das infestações por ectoparasitas, de acordo com a veterinária, ainda é preciso um acompanhamento rígido da frequência e sequência de aplicações de produtos tópicos nos pets. “Além disso, é fundamental a adoção do controle integrado, que visa não somente atuar na infestação que está nos animais, mas, também, na contaminação do ambiente, onde estão as formas imaturas desses parasitas e que correspondem a 95% das infestações a serem controladas”, explica. 

No verão, os pets sofrem com as picadas de insetos, que, além de provocar incômodo, podem transmitir doenças como Leishmaniose e Dirofilariose. “Atualmente, existem estudos e dados suficientes para sustentar que o uso de coleiras impregnadas de substâncias com atividade contra o mosquito-palha é método imprescindível para a saúde dos cães e um dos mais eficazes no combate à leishmaniose”, declara. 

A vacinação, segundo ela, também é importante para manter os cães protegidos, evitando o desenvolvimento da Leishmaniose Visceral. “Ainda, para o controle ambiental da proliferação de insetos, como o mosquito causador da Leishmaniose, são recomendados: limpeza de quintais, com a remoção da matéria orgânica que se acumula pela decomposição de folhas e frutos que caem das árvores, tratamento adequado para o lixo doméstico, entre outras medidas”, afirma. 

Além do controle de ectoparasitas e insetos, são precisos cuidados redobrados com os animais nos dias quentes, como lembra a profissional. “É essencial manter água limpa e fresca, evitar locais abafados e fechados, tosar o pelo do animal (inclusive dos gatos) e não praticar exercício ou qualquer esforço físico durante as horas de maior calor. Seguindo esses cuidados com os pets, é possível aproveitar o verão sem riscos para a saúde e bem-estar deles, favorecendo a longevidade e vitalidade de cães e gatos”, garante.

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.