Assine

Pesquisa aponta falha na comunicação sobre descarte de medicamentos

Veterinários devem aconselhar seus clientes sobre o manejo ambiental

Se ninguém lhe disser a maneira correta de se livrar daquelas sobras de pílulas dirofilariose, frascos de xampu contra pulgas e outros produtos para animais de estimação que sua família não precisa mais, você não está sozinho. Uma nova pesquisa da Universidade Estadual do Oregon (Oregon, EUA) descobriu que mais de 60% dos profissionais de cuidados veterinários não aconselham seus clientes sobre manejo ambiental do descarte de medicamentos. 

descarte
Veterinários devem servir como modelos para os donos de
animais em práticas de manejo ambiental (Foto: reprodução)

Essas descobertas são problemáticas, mas também representam uma oportunidade de reduzir os contaminantes das bacias hidrográficas. "As pessoas estão apenas começando a entender o impacto que produtos farmacêuticos e para cuidados pessoais têm no meio ambiente", disse a autora correspondente do estudo, Jennifer Lam, que trabalhou na pesquisa enquanto estudante de pós-graduação em gestão de recursos marinhos, na Universidade Estadual do Oregon. 

Este estudo, na visão de Jennifer, abre a porta e mostra uma lacuna de informação, mostra onde há uma oportunidade para ajudar a educar as pessoas. “Não há comunicação entre profissionais veterinários e seus clientes sobre como descartar medicamentos expirados, o que significa que há muito potencial para esses profissionais ajudarem seus clientes a aprender o que fazer", acredita. 

Jennifer e outros pesquisadores entrevistaram 191 donos de animais e descobriram que quase metade deles se livrou de produtos de cuidado desnecessários e remédios por meio de lixeiras. A pesquisa também conta com entrevista com 88 educadores ambientais e 103 profissionais veterinários e revelou que 61% deles não compartilharam informações sobre o descarte adequado. Os 39% que informaram compartilhar essa informação o fizeram em apenas 19% das vezes. "Não é um tópico popular de se levantar", disse Jennifer, que observou que os profissionais listaram uma série de barreiras à comunicação, incluindo falta de conhecimento sobre o descarte adequado, tempo, custo e falta de preocupação por parte do cliente e do prestador de cuidados. 

Os entrevistados, segundo ela, disseram que suas organizações profissionais, como suas associações veterinárias, são sua principal fonte de informações sobre descarte. "Isso mostra que os profissionais devem servir de modelos para os donos de animais em práticas de manejo ambiental", argumenta. 

Fonte: Science Daily, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.