Assine

Pets com problemas articulares podem ser tratados com Meloxitabs

Produto do Biovet é palatável e possui princípio ativo eficaz e seguro

biovet800x80

Cláudia Guimarães, da redação

claudia@ciasullieditores.com.br

Traumas, quedas, obesidade, sedentarismo e o avanço da idade não são os únicos responsáveis por problemas articulares que acometem os cães e gatos. Há, também, fatores genéticos envolvidos, onde os sinais clínicos mais comuns são: dor, claudicação intermitente, queda no desempenho, relutância em fazer exercícios, mudança de comportamento, entre outros.

Vale lembrar que, para prevenir ou atenuar esses sinais, é necessário identificar e tratar a causa da doença. Segundo o gerente de Marketing da Linha Pet do Biovet (Vargem Grande Paulista/SP), Leandro Venditti, as patologias osteoarticulares mais comuns são: displasia coxofemoral, artrose, hérnia de disco, displasia do cotovelo, entre outras. “Raças de cães, como Pastor Alemão, Rottweiler, Labrador e Golden Retriever e de gatos, tais como Maine Coon, Scottish Fold e Birmanês possuem maior predisposição às doenças articulares”, lista.

O profissional explica que, para o médico-veterinário diagnosticar o problema, além da identificação dos sintomas clínicos, precisará utilizar exames complementares, por exemplo, exames de imagem. “Já o tratamento tem como objetivo aliviar o desconforto da dor, prevenir ou retardar o desenvolvimento de novas alterações degenerativas e restaurar as articulações afetadas”, explana.

As alternativas terapêuticas mais rotineiras são os tratamentos médico e o cirúrgico, como expõe Venditti. “O veterinário tem como solução eleger no uso de fármacos anti-inflamatórios não esteroidais seletivos COX-2 e ações complementares como: redução de peso, fisioterapia, nutrição e suplementação adequada. As opções cirúrgicas são indicadas de acordo com a necessidade e a gravidade do caso”, menciona.

Escolha que acaba com a dor. Leandro Venditti afirma que Meloxitabs, do Biovet, é uma importante solução para o tratamento dos quadros clínicos relacionados ao aparelho osteomioarticular. Trata-se de um anti-inflamatório não esteroide em formulação palatável com atividade inibidora seletiva da cicloxigenase-2 (COX-2). O produto é indicado como analgésico, anti-inflamatório e antiexsudativo para cães e gatos, sendo especialmente apropriado para patologias dolorosas ou degenerativas, agudas ou crônicas. “Isso porque a molécula meloxicam é amplamente utilizada na rotina da clínica, muito pela sua eficácia, mecanismo de ação e seguranças”, assegura.

Um ponto considerado importante pelo profissional é em relação à dor: “O tratamento do animal com inflamação envolve dois objetivos: em primeiro lugar, aliviar a dor; em segundo lugar, retardar ou interromper o processo responsável pela lesão tecidual. No que se refere aos cuidados veterinários, são constantes os empenhos para melhorar os tratamentos da dor”, frisa.

meloxi
Produto está disponível em três apresentações, o que possibilita
atender diferentes portes de cães e gatos (Foto: divulgação)

Segundo o Colégio Americano de Anestesiologistas Veterinários, a dor e o sofrimento de animais são condições clinicamente importantes que afetam a qualidade de vida deles, a curto e a longo prazos. “São comprovados os benefícios do uso dos analgésicos, reduzindo o estresse, inibindo a liberação de substâncias deletérias para o organismo e facilitando a recuperação do paciente, reduzindo a mortalidade e a morbidade. Tendo em vista os atuais conceitos de bem-estar animal, a preocupação com o controle da dor é essencial na rotina clínica e é uma das propostas do Meloxitabs”, aponta.

Características. Existem duas peculiaridades importantes, segundo Venditti, no Meloxitabs: ele possui três apresentações, sendo de 0,5; 2 e 4mg, o que possibilita atender diferentes portes de cães e gatos, já que trata, respectivamente, 5, 20 e 40kg, indicando um bom custo benefício. Outro ponto é o fato do comprimido ser palatável, o que torna o ato de administração do medicamento mais fácil.

O meloxicam possui meia vida de 12 a 36 horas, alta biodisponibilidade, quando administrado por via oral, e meia vida de eliminação longa. “A concentração plasmática máxima mediana é atingida dentro de 5 a 10 horas, sendo que o tempo médio para o início da ação é de 80 a 90 minutos após a ingestão do medicamento”, cita.

Além desses benefícios, o meloxicam inibe, ainda, a infiltração de leucócitos no tecido inflamado e previne a destruição óssea e cartilaginosa que ocorre nos processos degenerativos ósseos e cartilaginosos. “Anti-inflamatórios não esteroides (AINEs) não seletivos que inibem a COX-1 geram diversos efeitos colaterais, entre eles: gastrites difusas, erosões gástricas, ulcerações, gastroenterite hemorrágica fatal, falhas renais agudas, injúrias renais crônicas, síndromes necróticas e nefrite.

Levando em consideração todos os predicados do produto, Venditti o resume em uma palavra: “Completo, pois apresenta diferentes apresentações, princípio ativo eficaz e seguro, além de comprimidos palatáveis”.

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.