Assine

Processo de cicatrização de feridas em pets é dividido em três fases

Feridas em cães e gatos requerem cuidados para evitar contaminação

Na rotina da clínica veterinária, existe uma alta incidência de atendimentos a animais acometidos por lesões de diferentes tipos e origem. Dentre os agentes responsáveis por ocasionar feridas, são citados os fatores extrínsecos, como incisões cirúrgicas e lesões acidentais, e os intrínsecos, produzidos por infecções e casos de úlceras crônicas causadas por alterações vasculares, problemas metabólicos e neoplasias. 

A cicatrização, que tem por finalidade a cura das feridas, começa, imediatamente, após uma lesão ou incisão e consiste em uma perfeita e coordenada cascata de eventos celulares e moleculares que interagem para que ocorra a reconstituição do tecido. O processo é dividido em três fases: inflamatória, proliferativa e de remodelação. O estágio inflamatório é caracterizado pelo recrutamento de leucócitos (neutrófilos e macrófagos) para o local da lesão. 

Na fase proliferativa, que apresenta um tempo estimado de cinco a 20 dias, ocorre a migração de queratinócitos, fibroblastos e células endoteliais, resultando na nova epitelização, com formação de tecido de granulação e neovascularização. Por fim, na maturação, o excesso de colágeno é degradado e várias enzimas proteolíticas levam ao reparo tecidual.

Continue lendo o artigo na edição de agosto da Revista Cães&Gatos VET FOOD. Acesse já.

cicatriz
Artigo está disponível na edição de agosto, nº 216, em revistacaesegatos.com.br

Confira a bibliografia utilizada pela autora.

DE OLIVEIRA JUNIOR, L. A. T. Efeitos do uso tópico de óleo de semente de girassol (Helianthus annus) em feridas cutâneas experimentalmente induzidas em equinos, 2010.

HEDLUND, C.S. Surgery of the Integumentary System. In: FOSSUM, T.W. Small Animal Surgery. 3 ed. Missouri: Mosby Elsevier, p. 161-259, 2007.

JUAN, J. S., GLORIA, I. L. Q., SERRANO, G., & TORRES-MENDOZA, B. M. Estudio comparativo entre ketanserina  dextranómero en el tratamiento de úlceras en enfermos de lepra, Leprología, v. 3, p. 518-522, 2000.

LEE, J. H., KIM, H. L., LEE, M. H., YOU, K. E., KWON, B. J., SEO, H. J., & PARK, J. C. Asiaticoside enhances normal human skin cell migration, attachment and growth in vitro wound healing model. Phytomedicine, v. 19, n. 13, p. 1223-1227, 2012.

MANDELBAUM, S. H., DI SANTIS, É. P., & MANDELBAUM, M. H. S. A. Cicatrização: conceitos atuais e recursos auxiliares-Parte II Cicatrization: current concepts and auxiliary resourcesPar II. An Bras Dermatol, v. 78, n. 5, p. 525-542, 2003.

Pavletic, M.M.Atlas of small animal wound management and reconstructive surgery. 3 ed. Iowa: Wiley-Blackwell, 2010.

KARAYANNOPOULOU, M., TSIOLI, V., LOUKOPOULOS, P., ANAGNOSTOU, T. L., GIANNAKAS, N., SAVVAS, I., & KALDRYMIDOU, E. Evaluation of the effectiveness of an ointment based on Alkannins/Shikonins on second intention wound healing in the dog. Canadian Journal of Veterinary Research, v. 75, n. 1, p. 42-48, 2011.

SOMBOONWONG, J.; KANKAISRE, M.; TANTISIRA, B; TANTISIRA, M.H. Wound healing activities of different extracts of Centella asiatica in incision and burn wound models: an experimental animal study. BMC Complementary and Alternative Medicine v. 12, p.103, 2012.

Fonte: Redação Cães&Gatos VET FOOD.

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.