Assine

Produtos de banho contra pulgas devem ser utilizados com prescrição

Tutores devem tomar alguns cuidados ao banhar seus animais de estimação

Pessoas que têm animal de estimação em casa sabem dos cuidados que se deve ter com a higiene do pet. Identificar a frequência do banho e da escovação é importante para que o animal seja tratado corretamente. De acordo com a médica-veterinária da Universidade Univeritas/UNG (Guarulhos/SP), Karina Delia Albuquerque, os cuidados incluem uso de produtos adequados para a espécie, idade e comprimento dos pelos, por isso, é importante verificar a indicação quando fizer compras no petshop. 

Segundo Karina, os produtos contra pulgas e carrapatos, por exemplo, devem ser utilizados apenas com orientação de um veterinário, pois se tratam de substâncias tóxicas com suas indicações e contraindicações e a água do banho tem que ter uma temperatura específica, sendo que o ideal é manter em, aproximadamente, 37 graus (morna). 

banhocao
A frequência de banhos não deve se
inferior a sete dias (Foto: reprodução)

A profissional ainda indica o uso do chuveirinho para o banho, pois evita que a água penetre nos ouvidos gerando otites. “Para proteger os olhos e ouvidos, oriento os tutores a colocarem um chumaço de algodão hidrofóbico nos condutos auditivos, antes o início do banho, para proteger os ouvidos. Esse algodão deve ser retirado após o término do banho, secando-os externamente (pavilhão auricular e pina) com a toalha. Nas áreas dos olhos é necessário evitar espuma do sabonete ou xampu”, discorre.

Antes de iniciar o banho, a pessoa deve calçar luvas descartáveis, ou lavar as mãos e sempre ter as unhas curtas para não gerar ferimentos no animal, como lembra a profissional. “É importante distribuir o xampu nas mãos e espalhá-lo por todo o corpo do animal massageando-o e enxaguar totalmente o pet, pelo menos, duas vezes em sequência, para que não sobrem resquícios do produto na pele e pelos, causando irritações”, salienta. 

Após o banho, a veterinária orienta a retirada do excesso de água com uma toalha seca de uso do animal e a secagem com secador em temperatura morna, penteando-o, ou escovando-o, em sentido da distribuição dos pelos (não contra os mesmos). “No entanto, o tutor deve estar atento à temperatura do aparelho. “Caso esteja alta, pode gerar lesões por queimaduras que, às vezes, não são notadas de imediato, mas que causam sérios problemas dermatológicos. Por isso, o secador deve ser utilizado em temperatura média. Quanto à distância entre secador e pele do pet, essa deve ser de, no mínimo, 10 cm. Caso o proprietário tenha dúvidas, deve testar a temperatura e distância focando o ar no dorso da própria mão”, recomenda.

A frequência de banhos não deve ser inferior a sete dias, de acordo com Karina. “Cães com muito pelo (pelos densos) como, por exemplo, Husky Siberiano, Pastor Alemão, Shar-pei e Chow-chow devem ter intervalo entre 15 e 30 dias, mas associado a escovações semanais. No inverno, a quantidade de banhos deve ser reduzida para prevenção de quadros respiratórios e alérgicos. Em filhotes, os banhos devem ser iniciados apenas após o término do protocolo de vacinação. Antes disso, podem-se utilizar produtos para banho seco e escovações semanais”, finaliza. 

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.