Assine

Publicação de trabalhos científicos pode beneficiar alunos de Veterinária

Resultado é o reconhecimento do aluno em âmbito profissional e pessoal

Cláudia Guimarães, da redação

claudia@ciasullieditores.com.br

O estudo traz inúmeros benefícios: conhecimento, sabedoria, experiência e ideias para colocar tudo aquilo que é apenas teoria em prática. Quem opta por seguir o caminho da Medicina Veterinária, durante e após o curso, elabora trabalhos científicos aprofundados sobre diversos métodos e temas que afligem ou despertam a curiosidade de profissionais e tutores de animais de companhia.

Após a escrita, esses trabalhos podem ganhar espaço em veículos especializados ou, ainda, serem indicados e vencedores de premiações do setor. Na visão do estudante do 10º semestre da graduação, do Centro Universitário Ritter dos Reis (UniRitter, Porto Alegre/RS), Rodrigo Pigozzi Bernardi, a possibilidade de publicação de um trabalho desenvolvido durante a graduação, certamente, serve como um incentivo para que o estudante realize pesquisas, não somente no fim do curso, mas durante todo o processo de estudo. O estudante, proprietário e esteticista animal da Pet shop The World Of Pet´s (Jundiaí /SP), Luiz Guilherme Souza, também destaca a motivação: “Nos sentimos mais proativos para que, cada vez mais, nos aprofundemos em novas técnicas e estudos relacionados à profissão”, declara.

pesquisacientifica
Trabalhos também recompensam estudantes em novos
conhecimentos e experiências (Foto: reprodução)

O benefício imediato que o aluno pode alcançar, para Bernardi e Souza, é a sensação de capacidade. “Esse sentimento pode fazer toda a diferença na formação profissional e, após a graduação, essa divulgação pode ser um diferencial na busca do primeiro emprego na área”, avalia Bernardi que nunca teve um trabalho publicado, mas tem interesse em divulgar seu trabalho de TCC sobre nutrição de cães e gatos. Souza adiciona: “Além do reconhecimento profissional, a publicação é como um troféu pelos seus esforços, dedicação e capacidade aos seus estudos”.

A médica-veterinária contratada do setor de Clínica Médica, do Hospital Veterinário, da Universidade Cruzeiro do Sul (São Paulo/SP), Eluara Ortigoso Alvarenga, acredita que escrever e enviar artigos científicos para publicação auxilia no crescimento pessoal e profissional do estudante. “O trabalho científico faz com que o aluno procure por novos horizontes, buscando o conhecimento em outros métodos, lugares e pessoas fora da universidade, informações que ele acrescentará no artigo científico, que poderá ajudar outros estudantes e profissionais da área. Revistas especializadas sempre estão no foco de procura por artigos científicos”, aponta.

Além de complementar o currículo, a divulgação faz com que o conhecimento produzido seja de acesso ao público, na visão da estudante da Universidade Santo Amaro (Unisa, São Paulo/SP), Jéssica Melo Nascimento. “Isso faz com que a área da pesquisa seja impulsionada, evoluindo, assim, os setores da Medicina Veterinária e demais profissões da saúde”, assegura e acredita que a ideia de uma pesquisa gera impulso para que novas possam ser feitas, além de gerar mais investimentos ao setor.

Jéssica está dando andamento a um projeto de iniciação cientifica e, futuramente, pretende apresenta-lo em congressos e publicá-lo em revista. “Os alunos que conseguem a publicação garantem reconhecimento profissional, estudantil, prestígio e boas informações para complemento do próprio currículo, por exemplo”, mensura.

Recompensas do reconhecimento. Com a divulgação de um trabalho é possível, na concepção de Eluara, que o estudante seja reconhecido em seu âmbito profissional, pessoal e universitário. “Além de recompensá-lo em novos conhecimentos e experiências”, adiciona a profissional que compara o reconhecimento com uma premiação na qual foi selecionada: “Enviei um de meus trabalhos para um projeto de uma empresa de medicamentos. Eles me ajudaram a realizar o estudo, oferecendo medicações para o tratamento do foco do meu trabalho. Fui premiada em segundo lugar de âmbito nacional e recebi prêmios tanto para universidade em que eu trabalhava, como residente de clínica médica de pequenos animais, quanto para mim”, narra.

estudocientifico
Valorização de estudos favorece significativamente as
chances de progredir na carreira (Foto: reprodução)

Sobre as premiações voltadas a alunos no setor da Medicina Veterinária, Bernardi afirma que o reconhecimento é muito importante, principalmente, durante a faculdade, onde o estudante está passando por vários momentos de aprovações e inseguranças. “O ambiente acadêmico pode ser muito acolhedor, mas, também, muito hostil e, assim, se transformar em um campo de competições. Nesse momento, a valorização é muito válida, pois pode servir de apoio para muitas pessoas”, pondera. Para ele, a relevância da profissão do médico-veterinário deve ser destacada. “Infelizmente, venho observando que a carreira não recebe o devido reconhecimento, talvez nunca tenha recebido, e esse movimento é desgastante para os profissionais que já estão no campo de trabalho e para os que ainda vão buscar o primeiro emprego após a formatura”, evidencia.

Para Souza, o reconhecimento e premiações geram aumento na grade curricular, ampliando, também, as oportunidades na área profissional. “O setor de Medicina Veterinária, vem crescendo em todas as regiões e a valorização favorece significativamente as chances de progredir na carreira, já que a competitividade no ramo também é crescente”, diz.

Eluara garante que as premiações e publicações são um bônus que consiste em estimular, ainda mais, o aluno a se esforçar e obter bons resultados em sua pesquisa, sendo recompensado por isso e ajudando, assim, sua instituição de ensino a ser reconhecida. “Acredito que universidades, clínicas e empresas deviam estimular seus alunos e profissionais a pesquisarem sobre um assunto de sua escolha, algum foco de preferência, ou até algum caso específico, que atenderam em sua clínica, considerado raro ou de pouca frequência, que relatem o caso para estudo próprio e para ajudar outros colegas de profissão por meio da disseminação do conteúdo”, opina.

A estudante Jéssica também considera importante que as instituições incentivem seus alunos a realizar pesquisas científicas. “Deve haver um estímulo para que conteúdos ainda não estudados, ou com pouco conhecimento relevante, possam ser aprofundados. Isso impulsiona a pesquisa e proporciona melhores conhecimentos acadêmicos e científicos, relacionados à Medicina Veterinária em si”, presumi.

Se você, estudante de Medicina Veterinária, tiver interesse em ter um de seus trabalhos científicos descrito nas páginas da C&G VF, entre em contato com a editora chefe da revista, Sthefany Lara, que passará todas as normas e prazos para a publicação. O e-mail é sthefany@ciasullieditores.com.br.

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.