Assine

Simuladores tridimensionais auxiliam alunos em aula de anatomia

Substituição de animais é tendência dentro das graduações de Veterinária
simulador
Reportagem está disponível em
revistacaesegatos.com.br

Cerca de 30 instituições brasileiras aboliram os métodos que utilizam animais para ensino e pesquisa e, como modo de substituição, tem-se optado por algumas alternativas pedagógicas. Após o surgimento de modelos sintéticos nas aulas de anatomia e estudos para ambiente clínico, a novidade, agora, é um simulador tridimensional. 

Este modelo atua como uma mesa que expõe os corpos tridimensionais, de forma detalhada, na anatomia dos seres humanos e animais. A tecnologia é desenvolvida pela startup brasileira Csanmek (São Paulo/SP), custa entre R$ 200 mil e R$ 700 mil, sendo capaz, ainda, de simular reações físicas como sangramento durante um procedimento cirúrgico. 

Segundo o médico-veterinário e coordenador do curso de Medicina Veterinária, da Faculdade Guanambi (Guanambi/BA), Rafael Gomes e Souza de Barros, a possibilidade de corte e sutura dá, aos alunos, uma experiência próxima da realidade e não coloca em risco a vida de nenhum ser. 

Leia mais na reportagem da edição deste mês da C&G VF.

Fonte: Redação Cães&Gatos VET FOOD.

 

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.