Assine

Sintomas da giardíase em cães incluem diarreia, vômitos e perda de peso

Doença também pode ser transmitida a humanos, sendo, assim, uma zoonose

A giardíase é uma infecção causada pelo protozoário Giardia lamblia. Nos cães e seres humanos, o parasita se prende à parede do intestino delgado e causa problemas gastrointestinais como diarreia e vômito. Se os sintomas não forem tratados adequadamente, pode haver complicações como desidratação e, em casos extremos, levar à morte. 

A doença pode ser transmitida para o homem, por isso é considerada uma zoonose pela Organização Mundial de Saúde (OMS). O médico-veterinário e gerente Técnico e de Pesquisa Aplicada para Animais de Companhia da Zoetis (São Paulo/SP), Alexandre Merlo, esclarece dúvidas frequentes dos tutores sobre a doença. 

Ele conta que quando o cão está presente em locais com muitos animais, ou mesmo a convivência de mais de um cão no mesmo local, é exposto a diversas infecções, sendo o protozoário Giardia um deles. “A infecção ocorre por meio da ingestão das fezes de um animal infectado. Essas fezes podem estar na terra, diluídas na água de bebida ou misturadas em alimentos. Além disso, mesmo em superfícies aparentemente limpas, como pisos, pode haver cistos do protozoário que causam a infecção”, relata. 

pet-humano
Quando o animal é identificado com a doença,
os membros da família também devem ser
examinados (Foto: reprodução)

Mesmo que o pet tome vermífugo com regularidade, Merlo afirma que ainda é possível ser infectado. “Os vermífugos variam em sua composição e podem funcionar ou não para tratar a giardíase, conforme forem seus princípios ativos”, frisa. 

Os principais sintomas da doença, segundo o profissional, são: diarreia, fezes pastosas e fétidas, vômitos, dor abdominal, desidratação e perda de peso. Em casos mais graves, a infecção pode levar o cão à morte. “Por conta destes sintomas, a infecção pode ser facilmente confundida com outras enfermidades intestinais e tratada de maneira incorreta. Por isso, é fundamental identificá-la rapidamente e, acima de tudo, preveni-la”, orienta. 

Prevenção. Para proteger o animal contra a giardíase, cuidados básicos de higiene como verificação da fonte da água para beber e limpeza adequada de pisos e instalações são importantes, de acordo com Merlo. A vacinação também é uma medida preventiva importante, já que nem sempre é possível impedir que os animais entrem em contato com os cistos de um ambiente contaminado. “A Zoetis disponibiliza a vacina Giardiavax, única no mercado brasileiro para prevenir os sintomas da giardíase em cães. Na primeira vacinação, são requeridas duas doses com intervalo de duas a quatro semanas entre elas. Para animais já vacinados, doses anuais são recomendadas. GiardiaVax é indicada para cães saudáveis a partir de oito semanas de idade e a proteção é conferida 15 dias após a aplicação da segunda dose”, explica. 

Tratamento. Caso o cão seja diagnosticado com a doença, o gerente expõe que o tratamento será realizado com medicamentos específicos. O cão também deve ser banhado com maior frequência e limpo sempre que defecar, para evitar espalhar os cistos pelo ambiente. “Outros animais da casa devem ficar afastados do cão infectado serem submetidos a exames, a fim de descartar o problema”, menciona. 

Em humanos. A giardíase é relativamente comum em humanos. Estudos científicos revelam que uma em cada cinco crianças brasileiras em fase pré-escolar (de dois a seis anos) apresentam infecção por giardíase. Em creches, a frequência da doença chega a atingir mais da metade das crianças, devido ao uso de água não fervida e não filtrada. Aliás, a giardíase é a principal infecção intestinal detectada nestes estabelecimentos. A lavagem das mãos apenas com água também é um fator de risco para a infecção. 

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.